terça-feira, 31 de maio de 2011

Com iPad 2, Apple fatura pelo menos R$ 330 mil

Aparelho custa entre R$ 1.650 e R$ 2.599, dependendo da configuração e do modelo

AdNews


Fonte: http://www.google.com.br/imghp
Começou à 0h01 desta sexta-feira, 27, a venda do iPad 2 no Brasil. Houve evento oficial em apenas um lugar, o Shopping Iguatemi, na zona oeste de São Paulo, onde cerca de 200 pessoas aguardavam pelo lançamento em uma fila formada na tarde de ontem.

Tomando como base o preço do modelo mais simples do gadget – com 16GB e Wi-Fi -, a Apple faturou nas primeiras horas do dia pelo menos R$ 330 mil com a venda do produto, que custa entre R$ 1.650 e R$ 2.599 – este com 64GB e conexão 3G. Mas a conta tende a ser bem maior, já que nem todos foram ao evento para comprar o iPad básico.

O primeiro a ter o aparelho em mãos foi o estudante universitário Pedro Wilson, de 20 anos. O applemaníaco saiu de Santos, no litoral paulista, e aguardava desde as 15h de ontem na fila que ele mesmo iniciou na frente da loja da Apple.

Como em outros eventos da empresa, vários artistas marcaram presença, entre eles alguns VJs da MTV, o vocalista do Capital Inicial, Dinho Ouro Preto, e a cantora Pitty. E este ficou marcado como lançamento mais rápido da Apple no Brasil, com atraso de 'apenas' três meses em relação aos Estados Unidos e uma diferença de 24 semanas frente o lançamento do primeiro modelo do tablet por aqui.

Com informações de: Gizmodo Brasil e Macworld




Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Profissionais autônomos têm dificuldades de lidar com o negócio e cometem erros

Para autor do livro "Empreendedores Esquecidos", autônomos esquecem que são empreendedores

Infomoney

Fonte: http://www.google.com.br/imghp
O sonho de muitos profissionais liberais é abrir o próprio escritório de advocacia, o escritório de contabilidade, o consultório médico. Tudo parece simples: ganha-se com o que o negócio render. Para o professor de administração e autor do livro “Empreendedores Esquecidos”, Fábio Zugman, a conta não é bem essa.

Ele alerta os profissionais liberais esquecem que também são empreendedores: precisam lidar com pessoas, adotar decisões sobre dinheiro e atrair e reter seus clientes. “Realmente, não há necessidade de alguém formado atuando na sua área ficar aprendendo teorias de outro segmento. A não ser que o profissional tenha uma curiosidade pessoal por administração, a maioria dos profissionais quer saber o que funciona”, avalia Zugman.

E pelo fato de muitos profissionais autônomos não se interessarem em saber como administrar bem o seu negócio, eles acabam cometendo erros que podem por fechar o sonho de ser o dono do próprio nariz.

Os erros mais comuns
O professor lista como erro mais comum o fato de os profissionais confundirem atividade profissional com pessoa física. “É normal muitos profissionais liberais confundirem o dinheiro da empresa com o seu próprio, correndo o risco de se perder na contabilidade. É preciso manter um controle financeiro separado, no mínimo para saber quanto se está ganhando e gastando com a atividade profissional, e não errar na hora de pagar imposto”, aconselha Zugman.

Outro ponto com que os profissionais autônomos costumam pecar é em relação aos limites entre trabalho e vida pessoal. “Como a profissão faz parte da identidade dessas pessoas, é comum que a vida pessoal e profissional se atrapalhe. É preciso organizar para manter os limites e não deixar apenas o profissional tomar conta”.

No mundo dos negócios, ser bom não é o bastante. É preciso entender que o cliente, muitas vezes, é leigo com relação ao assunto do qual trata o profissional. “Por isso, é importante oferecer sinais de que o seu serviço vale a pena. Do local de atendimento à apresentação do profissional, o modo de se colocar com o cliente, a forma como o atendimento é finalizado e a cobrança é feita, uma infinidade de detalhes é usada pelos clientes para decidir se um profissional é bom ou ruim”, afirma.

Sendo um empreendedor
Para aproveitar o bom negócio, os profissionais autônomos devem ficar atentos a alguns pontos que podem fazer a diferença. A começar pelo planejamento financeiro e do tempo. “Estabelecer rotinas é importante. Possuir processos bem organizados faz uma boa diferença na qualidade de um serviço”, afirma o professor.

Ele explica que processos bem estabelecidos evitam desperdícios e economizam tempo. “Deixe as decisões rotineiras em piloto automático”. Outro ponto é com relação a determinadas atividades. “A cada atividade realizada, avalie se vale mais a pena investir seu tempo e conhecimento no assunto ou contratar um especialista”, aconselha Zungman.

O professor reforça que os profissionais autônomos devem ficar atentos não apenas em ser bons no que fazem, mas também em saber conquistar clientes. “É útil formular cada etapa como uma pergunta: como um cliente em potencial descobre que você existe? Como ele marca um horário? Onde é atendido? Como é esse atendimento? O que acontece depois? Todos os detalhes devem ser pensados para criar uma experiência positiva ao cliente”.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Sete segredos infalíveis para sobreviver no mercado

Do atendimento ao planejamento completo. Quando a empresa não vai bem, lembre-se, é hora de oxigenar o negócio.

Por Fábio Bandeira de Mello

Fonte: http://www.google.com.br/imghp
Recentemente acompanhei o relato de um jovem empresário que estava com dificuldades em seu negócio. A empresa dele – que é de serviços – foi herdada do pai, está bastante tempo no mercado, mas encontra-se com um problema grave: faltam clientes.

Os prejuízos começavam a acumular, os salários dos empregados estavam atrasados e tudo estava desandando. O empresário estava desesperado e com medo de falir pelo fato de não saber o que fazer para voltar a antiga demanda de serviços e a boa clientela, comum no passado.

Mas, o que está faltando para o negócio voltar a ter clientes? Como fazer para alavancar ou retornar as vendas do negócio? Qual era o grande problema?

O que o empresário citado acima demorou para reparar foi que as táticas de vendas utilizadas por ele – que eram as mesmas utilizadas no tempo que seu pai era o dono – já não funcionavam tão bem. A entrada de novos concorrentes na cidade fez com que o mercado ficasse mais disputado e a necessidade de algumas mudanças e ajustes fossem realizados.

Essa necessidade do empresário é comum entre muitos outros empreendedores que passam por períodos de dificuldades em seus negócios. Como forma de colaborar nesse momento, relato sete dicas que podem fazer a diferença e oxigenar os empreendimentos nas horas difíceis.

1 - Atendimento. Tenha em mente que clientes felizes com o serviço indicam sua empresa para outros amigos. Converse com toda a equipe. Sejam educados no contato com os consumidores, eficientes na atuação e sem atrasos. Lembre-se de repassar sempre um cartão com telefone e endereço para os serviços que realizarem.

2 - A primeira impressão fica. A fachada da sua loja está ruim e acabada? Então mude, pinte e a faça estar bonita e atrativa. Afinal, como alguém pode esperar um serviço de qualidade de uma empresa, se ela própria não tem cuidado e manutenção em suas instalações?

3 - Invista no Marketing. Como? Primeiramente, explore o que sua empresa tem de mais marcante. Ela está muito tempo no mercado? Então enfoque na confiança e credibilidade. Seus preços são mais baixos ou de uma melhor qualidade? Destaque essas informações aos seus consumidores. Aproveite também a internet para expor seus produtos e os meios de comunicação para fazer isso na cidade. Panfletos, outdoor, propaganda no jornal, rádio e TV podem auxiliar nessa caminhada. Lembre-se que a divulgação de seu serviço deve ser um exercício contínuo e frequente.

4 - BBB. A máxima do "bom, bonito e barato" continua em pauta. Empresas que oferecem um serviço de qualidade e com preços atrativos estão um passo a frente da concorrência. Faça uma pesquisa de mercado e verifique se o seu serviço ou produto está compatível com que a concorrência oferece.

5 - Prepare-se para os meses de pouca venda. É normal que pequenas empresas oscilem entre o positivo e negativo, por isso fazer uma análise na sua administração financeira regularmente é importante. Lembre-se que você deve ter uma reserva de caixa já prevendo meses de baixa procura.

6 - Avalie seu estoque. Muitas vezes o empresário investe bastante dinheiro em estoque e ele leva muito tempo para girar (vender, receber e comprar de novo). Esse acúmulo pode se tornar um problema com a perca de materiais pelo tempo ou por estragarem. Isso implica em gasto desnecessário de dinheiro que poderia estar investido em outro lugar e trazendo mais retorno.

7 - Conheça bem a sua empresa. Esse é o passo mais importante. Você precisa estar por dentro de todos os processos do seu negócio. Financeiro, administrativo, clientela, divulgação e tudo mais. A partir desse domínio, você dará seus passos com mais segurança!

Até breve!

Eu estou também no Twitter: @fabiobandeira_

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Quão pioneiro você é?

Se fizermos uma reunião em seu escritório e discutirmos feeds RSS, computação em nuvem ou hashtags do Twitter, qual é a probabilidade de você nos olhar com cara de interrogação?

Por Bettina Büchel, Revista Administradores

Das mídias sociais aos iPads, as novas tecnologias estão mudando a forma como os consumidores interagem com as marcas. Clientes insatisfeitos rapidamente expõem suas mágoas com o produto no Facebook, Twitter e outros canais de mídias sociais. Como os executivos conseguem entender o feedback de seus clientes se nem conhecem estes meios? E como podem programar limitações de uso destes meios aos funcionários para evitar catástrofes sem compreender de verdade como funcionam estas ferramentas? Os executivos também precisam entender o valor dos canais de mídia social e as novas tecnologias em termos de ferramentas de marketing e geradores de receita.

Ao implementar ideias pioneiras, nenhum executivo deve se sentir isolado. Estamos passando por uma transição de gerações, em que diferentes grupos têm diferentes tipos de perspectivas. Executivos entre 30 e 40 anos de idade cresceram com uma infraestrutura de TI, e-mail e internet, e adaptaram-se facilmente às novas tecnologias web 2.0. Enquanto isso, executivos na casa dos 40 conheceram a tecnologia tarde na universidade ou no início de suas carreiras, mas a maioria tem se adaptado bem.

Agora, é a faixa etária dos acima de 50 a mais desfavorecida. Eles foram obrigados a aprender e a usar novas tecnologias bem mais tarde em suas carreiras e, compreensivelmente, passaram pela maior curva de aprendizagem na adoção de novas tecnologias. Em termos do pioneirismo em tecnologia, cada grupo tem algo valioso para compartilhar entre si. Ser pioneiro é muito mais do que apenas dominar e aplicar novas tecnologias. Líderes pioneiros de todos os níveis, sejam de uma empresa, unidade de negócio ou área, devem inspirar um espírito coletivo de mudança, desafio e ação se quiserem ter sucesso duradouro.

Direcione a mudança
A tecnologia oferece muitas ferramentas que ajudam a disseminar a informação, mas ela por si só não cria um "buxixo" nem inicia a mudança. Ter atitude é muito importante parar inspirar mudança em uma organização e líderes sempre recorrem à sua própria paixão para criar um ambiente propício para tal.

Quanto mais energia positiva e paixão demonstrar ao apresentar a mudança, maior será seu índice de sucesso ao inspirar os envolvidos. Por outro lado, é difícil direcionar a mudança se você não está apaixonado pela ideia. Antes de levar adiante qualquer ideia nova, você deve se perguntar se realmente acredita nela ou mesmo buscar informações certas que irão convencê-lo de que a mudança vale a pena. Nossa paixão pessoal muitas vezes direciona as melhores mudanças.

Não culpe o mensageiro
Qualquer ação verdadeiramente pioneira ou qualquer grande mudança terá obstáculos e desafios – é inevitável – e, por isso, é preciso enfrentar estes desafios, assim como ter uma mente aberta em relação às pessoas que trouxeram à tona tais obstáculos.

Infelizmente, em muitas organizações há uma tendência de culpar o mensageiro: líderes não gostam de saber de problemas, então a pessoa que os expõem é afastada do projeto ou desligada da empresa. Isso passa uma mensagem de que você não quer que ninguém levante desafios ou aponte obstáculos, mesmo que no longo prazo isso seja melhor para o projeto, e acaba criando um clima de desconfiança. Isso significa que a sua mudança não terá apoio e poderá, consequentemente, perder força.

O pioneirismo é um negócio arriscado
Além de acompanhar as tendências, especialmente no desenvolvimento tecnológico e na criação de um ambiente positivo para a mudança, o desafio e a ação, verdadeiros profissionais pioneiros precisam empurrar as fronteiras de seus setores e alavancar o conhecimento para gerar uma nova visão. Isso significa assumir riscos – e às vezes são riscos consideráveis. Quanto maior a mudança, maior é o risco ao profissional pioneiro e sua reputação pessoal. É fundamental entender as possíveis consequências de qualquer atividade pioneira e reconhecer que pode haver momentos em que os obstáculos tornam-se tão pesados que seja melhor parar o projeto em vez de continuar seguindo em frente.

A tecnologia está nos obrigando a inovar mais rapidamente
Um dia, nossos filhos e netos vão rir da cafonice de nossos iPads e provavelmente vão perguntar o que seria um desktop. As empresas que se esforçam coletivamente para emplacar a mudança nos direcionarão para o futuro. E a força da concorrência deve nos catapultar para frente. A maioria dos produtos tem seu próprio ciclo de vida; ao se aproximarem do fim, as empresas devem lançar novas ideias, a fim de impulsionar a inovação. Curiosamente, o crescimento da tecnologia das redes sociais está acelerando esse ciclo de vida e forçando as empresas a inovarem cada vez mais rapidamente ao aumentar a demanda por novos produtos por parte dos clientes.

Vemos empresas hoje disponibilizando produtos no mercado antes mesmo de estarem 100% prontos, e aí utilizam o feedback dos consumidores para impulsionar o desenvolvimento. Seja como for sua estratégia, você deve ser pioneiro. A única maneira para qualquer empresa permanecer à frente é já estar trabalhando na próxima grande ideia.

Bettina Büchel - professora de Estratégia e Organização no IMD. Ela codirige o programa Orchestrating Winning Performance.
Esta matéria foi publicada na revista Administradores nº 3. 

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Abertas inscrições para concurso com rendimentos mensais que podem chegar R$ 100 mil

Cargo é para prático, profissional encarregado de orientar os comandantes dos navios que chegam ou saem de um porto

Infomoney

Fonte: http://www.google.com.br/imghp
Desde a última quarta-feira (25) estão abertas as inscrições para o concurso público que vai selecionar 81 pessoas para o cargo de prático, cujos ganhos podem chegar a R$ 100 mil por mês.

Conforme publicado pela Agência Brasil, o prático é o profissional encarregado de orientar os comandantes dos navios que chegam ou saem de um porto ou navegam por determinados rios.

A remuneração depende da movimentação do porto, mas, além do rendimento mínimo mensal, o profissional conta com ganhos extras e participação nos lucros. Em Santos, no litoral sul paulista, onde funciona o maior porto da América Latina e trabalham 41 práticos, o ganho mínimo mensal é de R$ 16 mil.

Quem pode participar?
Para concorrer a uma vaga, o candidato deve ter formação superior completa em qualquer área e possuir, até o fim do prazo de inscrições, a habilitação para navegar em embarcações de esporte ou lazer (mestre amador).

As inscrições terminam em 13 de junho e custam R$ 200. Aqueles que forem selecionados participarão de um programa de treinamento, que dura de 12 a 20 meses. Durante esse período, o profissional recebe apenas uma ajuda de custo e ainda deve ser aprovado no exame de habilitação final. Feito isso, o profissional torna-se sócio de uma das várias associações de praticagem do país.

Apesar de admitidos por meio de seleção organizada pela DPC (Diretoria de Portos e costas) da Marinha, os práticos não são servidores públicos nem militares. Mais informações sobre o processo seletivo e a ficha de inscrição estão disponíveis no site www.dpc.mar.mil.br.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

ANPAD lança novo periódico

Conteúdo será voltado para prática profissional avançada; primeiro número já está no ar

Por Redação Administradores, www.administradores.com.br

A Associação Nacional de Pós-Graduação e pesquisa em Administração anunciou na última sexta-feira (27) o lançamento de seu novo periódico científico, a TAC (Tecnologias de Administração e Contabilidade).

De acordo com a Associação, o conteúdo aborda apenas o "conhecimento aplicado, tornando-se assim, naturalmente vocacionada para o escoamento da produção oriunda dos mestrados profissionais e MBAs".

"Em função deste foco distinto, a TAC surge com o potencial de contribuir grandemente para que, não apenas os estudantes de pós-graduações stricto sensu de natureza profissional possam produzir dissertações e artigos de natureza mais aplicada, como, também, toda a comunidade da ANPAD possa divulgar seus trabalhos de natureza tecnológica", comunicou a Associação.

A publicação terá periodicidade quadrimestral, e o primeiro número (Jan - Jun/2011) já está no ar.

Saiba mais:
Tudo o que você precisa saber sobre o Teste Anpad 


Preparatório ANPAD - SETEMBRO/2011 e Especial UNISINOS/2011



Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Microsoft deve apresentar Windows 8 para tablets essa semana

Sistema operacional irá rodar com o chip Nvidia Tegra, voltado para dispositivos móveis

Por Redação Administradores, www.administradores.com.br

A Microsoft deve apresentar ainda essa semana uma versão do Windows 8 - ainda não lançado -, para tablets. De acordo com uma reportagem da Bloomberg, Steven Sinofsky, executivo da companhia, irá apresentar o software na conferência All Things D, que está marcada para acontecer entre os dias 31 de maio e 2 de junho.

O sistema operacional irá rodar com o chip Nvidia Tegra, voltado para dispositivos móveis.

O site Mashable reportou que o movimento da Microsoft vem depois de dois disparos falhos no mercado de tablets: o lançamento, em 2010, do Slate PC, modelo que rodava o Windows 7 e o software Kindle, da Amazon, que foi comparado a um "PC despojado" sem um teclado; e o lançamento, há onze anos, do primeiro Tablet PC, um laptop com tela rotatória e touchscreen.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Salário médio de executivos do mercado de luxo no Brasil ficou em R$ 4.080 em 2010

Em 2008, a média salarial paga nas empresas desse segmento era de R$ 2.667,00 e em 2009 era de R$ 2.762

Infomoney

Fonte: http://www.google.com.br/imghp
A média salarial mensal dos executivos no mercado de luxo brasileiro é de R$ 4.080 mensais. O dado consta em pesquisa da empresa GFK Brasil que analisou o perfil das empresas de luxo que atuam no país. Segundo o estudo, o salário médio praticado pelas empresas brasileiras que atuam no mercado de luxo no País é de R$ 3.231,00, bem inferior ao praticado pelas empresas estrangeiras em território brasileiro: R$ 5.083,00.

Na comparação com os últimos anos, o salário médio teve uma expressiva alta. Em 2008, a média paga nessas empresas era de R$ 2.667,00 e em 2009 era de R$ 2.762. O estudo destaca, no entanto, que além do salário, as empresas deste segmento podem oferecer descontos em produtos, viagens para o exterior, participação nas vendas e participação nos lucros.

Função, tempo e idade
Foram ouvidos 79 executivos de empresas do setor no ano passado. Entre eles, 35% se disseram sócio ou dono do empreendimento, 25% é composta por diretor geral, 23% por gerente geral, 6% por presidentes e 10% por outras funções dentro das organizações.

Na análise por tempo no cargo, mais da metade (51%) disse estar há mais de cinco anos na empresa, seguida de 20% que disse que tem entre 3 a 5 anos. Outros 9% estão há um período entre dois e três anos na empresa, 12% entre 1 e 2 anos, e 8% até 1 ano.

Entre os ouvidos em 2010, 39% tinha entre 30 e 40 anos, 33% de 40 a 50 anos. Os que possuem acima de 50 anos somam 14% dos profissionais do mercado de luxo e os que tem até 30 anos somam outros 14%. Seis em cada dez profissionais são do sexo masculino, segundo o levantamento.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Sites cuidam de perfis e senhas em caso de morte do usuário

Na era em que a internet se tornou uma presença inevitável no dia-a-dia de todos, sites estão oferecendo serviços para lidar com a vida cibernética após o encerramento do material.


Na era em que a internet se tornou uma presença inevitável no dia-a-dia de todos, sites estão oferecendo serviços para lidar com a vida cibernética após o encerramento do material. A atenção que têm gerado mensagens póstumas como a do blogueiro canadense Derek Miller, que morreu no início deste mês, ilustra uma tendência de se cuidar da vida online tanto quanto a física após a morte. 

Para isso, as opções existentes vão das mais práticas às mais sofisticadas. Entre as primeiras está o site www.legacylocker.com, que se propõe a funcionar como uma espécie de "cofre digital". O serviço consiste em guardar toda e qualquer informação digital como nomes de usuários e senhas de acesso para qualquer site ou conta de email, e repassá-la para as pessoas indicadas quando o cliente partir. 
É possível manter mensagens de despedidas que são enviadas aos respectivos destinatários conforme as instruções deixadas em vida. No futuro, esse serviço poderá ser feito também através de vídeo. 

Outro site cuja proposta segue a mesma linha é o www.deathswitch.com, que envia emails automáticos para os usuários confirmarem que eles estão vivos. Se as mensagens forem repetidamente ignoradas ao longo de determinado tempo, o programa pressupõe que o cliente está morto, e dispara os email com textos, dados e arquivos anexados para os endereços indicados. "Não morra com segredos que precisam ser liberados", diz o site. 

Já o Intellitar (www.virtualeternity.com) possibilita que o cliente crie uma espécie de avatar com base em uma fotografia real, ao qual a companhia atribui uma voz e acrescenta animações e efeitos. Outras pessoas podem "entrar em contato" com o avatar para bater um papo através de um chat no site. 

Últimas palavras
Os serviços são uma versão sofisticada de uma prática que já está se tornando comum na era online, de oferecer na vida cibernética um encerramento mais suave para o fim material. Em outros casos recentes, indivíduos com o prospecto de uma morte em breve se encarregaram de providenciar o próprio ato final em posts que foram publicados por amigos ou parceiros. Um caso recente foi o do blogueiro Derek Miller, que morreu no início de maio em consequência de uma metástase do câncer colorretal do qual sofria. 
O último texto dele, "Last Post", atraiu 8 milhões de usuários ao site Penmachine.com (http://www.penmachine.com). Derek usava o site para relatar sua dolorosa experiência, entre pinceladas de trivialidade, como o seu gosto por Diet Cherry Coke e a ceia de Páscoa. 

Na Austrália, um caso que chamou atenção foi o de Jessica Horton, que mantinha o site "Dying for Beginners" (algo como "A morte para iniciantes", em tradução livre). No seu último post, publicado por seu marido Jason, a jovem de 24 anos se disse feliz com a vida que levara até então e agradeceu pessoalmente a diversos amigos e parentes pela companhia e o amor que lhe dedicaram. 
"Fui feliz ao longo de toda a minha vida. Lembrem-se, a felicidade é uma jornada, não é um destino", escreveu. "Quando estiverem velando por mim, por favor também celebrem minha vida - o milagre que foi uma vida de amor e felicidade." Tanto no caso de Derek quanto de Jessica, a decisão da família foi manter os sites no ar como uma espécie de homenagem à vida dos seus entes queridos. "Respeitamos os desejos dela", disse a mãe de Jessica, Julia Whitby, ao jornal local Sydney Morning Herald. "Gosto de saber que ela está por aí. Sei que ela gostaria. Ela adorava escrever e se estivesse viva, tenho certeza de que seria escritora."

USP realiza olimpíada de inovação

Olimpíada é promovida pela Agência USP de Inovação e pela Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo

Agência Fapesp

Fonte: http://www.google.com.br/imghp
A Olimpíada USP de Inovação 2011 está com inscrições abertas até 16 de junho. A segunda edição da iniciativa da Universidade de São Paulo incentiva ações criativas e empreendedoras.

A olimpíada é promovida pela Agência USP de Inovação e pela Pró-Reitoria de Pesquisa da Universidade de São Paulo. O objetivo é proporcionar aos pesquisadores a oportunidade de concretizar resultados científicos e tecnologias em produtos e serviços, seja para fins lucrativos ou sociais.

Para participar, o candidato deve ter vínculo formal com a USP (aluno, docente ou funcionário). Em caso de equipe, ao menos um dos integrantes deve pertencer à universidade.

A competição será dividida em duas categorias e em duas etapas. A Categoria Livre terá menos exigências quanto ao rigor científico dos projetos e é destinada sobretudo aos alunos de graduação.

A outra categoria, Centros de Inovação, será realizada sob responsabilidade dos projetos nos denominados centros de inovação ligados à USP: Unidades de Ensino e Pesquisa, Núcleos de Apoio à Pesquisa, Centros de Pesquisa, Inovação e Difusão (CEPID) da FAPESP e Institutos Nacionais de Ciência e Tecnologia (apoiados pela FAPESP e CNPq).

A primeira edição da Olimpíada USP de Inovação, em 2008, recebeu mais de 400 inscritos e foi bem acolhida pela comunidade acadêmica. A ideia da competição gerou expectativas para a segunda, de acordo com o professor Vanderlei Bagnato, coordenador da Agência USP de Inovação.

"Na segunda edição vamos dar mais visibilidade aos competidores e destaque aos finalistas. Queremos motivar a participação, afirmando que é possível estabelecer uma carreira profissional sendo inovador", disse Bagnato, que também coordena o Centro de Pesquisa em Óptica e Fotônica de São Carlos, um dos CEPIDs da FAPESP.

As inscrições podem ser feitas individualmente ou em equipes de até quatro pessoas e ocorrerão até o dia 16 de junho. Nela também se encontra o regulamento completo da olimpíada.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Executivos brasileiros estão entre os mais satisfeitos com qualidade de vida

Segundo estudo,36% dos brasileiros consideram a qualidade boa; somada à opção balanceada, percentual sobe para 92%

Infomoney

Fonte: http://www.google.com.br/imghp
Os executivos brasileiros estão entre os mais satisfeitos com a qualidade de vida, segundo revela pesquisa realizada pela Robert Half, empresa focada em recrutamento especializado.

De acordo com o estudo, no Brasil, 36% dos executivos consideram a qualidade de vida boa, sendo que, quando somadas as alternativas boa e balanceada, o percentual sobe para 92%.

Em Luxemburgo, o percentual de executivos que consideram a qualidade de vida boa é de 59%, enquanto que, na Itália e na Holanda, 76% dos entrevistados classificam a qualidade de vida como balanceada. Os austríacos, por sua vez, são os que julgam ter a pior qualidade de vida, com quase um terço dos respondentes considerando pobre o equilíbrio entre trabalho e vida pessoal.

O levantamento ouviu 2.525 executivos das áreas de finanças e recursos humanos com responsabilidade de recrutamento, em 11 países: Áustria, Bélgica, Brasil, República Checa, Dubai, França, Alemanha, Itália, Luxemburgo, Suíça e Holanda.

Desenvolvimento
Quando o assunto é a busca por um novo emprego, entretanto, a qualidade de vida não ocupa o primeiro lugar entre os brasileiros, apesar de ser o principal quesito de desempate entre duas propostas com igual remuneração e pacote de benefícios globalmente.

Por aqui, o item recebeu 32% das respostas, contra 37% da média mundial . No Brasil, o principal motivador para transição de emprego é o desenvolvimento na carreira e maiores responsabilidades (34%).

Em terceiro lugar, aparecem empatados com 10% das respostas o apoio à formação e aprendizagem e a reputação/ marca da empresa . Em seguida, estão o relacionamento com o novo chefe e equipe (7%), oportunidade de trabalhar fora do país (6%) e maior número de folgas (2%).

Gestão de talentos
O estudo da Robert Half trata ainda da gestão de talentos. De acordo com o levantamento, metade dos participantes brasileiros aponta que suas empresas possuem um programa de gestão de talentos ativos, enquanto na média mundial 52% dizem não possuir um programa efetivo.

Apesar dos programas de gestão de talentos focarem no desenvolvimento de profissionais da própria empresa, no Brasil e na Itália, há a preocupação com a atração e contratação de talentos, o que, por aqui, se explica pelo bom momento econômico.

“O Brasil vive um momento peculiar de mercado altamente aquecido. Por essa razão, as empresas precisam manter os melhores talentos e ao mesmo tempo ter fôlego para novas contratações”, explica o diretor da Robert Half para a América Latina, Ricardo Bevilacqua.

No momento de escolher o principal critério de definição de um profissional com alto potencial nas empresas, o estudo aponta que as habilidades técnicas (21%) e mentalidade inovadora (20%) são os destaques na média mundial. No Brasil, as características mais valorizadas são: lealdade e dedicação, com 26% das indicações.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Busca estratégica na web para vendas estratégicas

O trabalho de SEO (Search Engine Optimization) ou popularmente chamado de 'otimização', consiste em permitir que o site apareça com destaque na parte gratuita dos principais buscadores

Por Ricardo Florêncio, www.administradores.com.br

Fonte: http://www.google.com.br/imghp
Com o amadurecimento da internet, os mecanismos de busca tornaram-se ferramentas importantes para empresas de todos os portes, sejam pequenas, médias e até grandes corporações.

Já há algum tempo, quando se pensa em um determinado produto, serviço ou empresas por segmento, logo o interessado acessa sites de busca e, por palavra-chave consegue pesquisar seu interesse. Se a pesquisa não traz resultados muito consistentes, o usuário geralmente 'melhora' a informação, detalhando. Ex: manutenção de chuveiro em São Paulo; salão de festas no Tatuapé etc. E aí, quem estiver configurado para aparecer dentre as opções, certamente sairá na frente.

O trabalho de SEO (Search Engine Optimization) ou popularmente chamado de 'otimização', consiste em permitir que o site apareça com destaque na parte gratuita dos principais buscadores.

Empresas que desejam colocar sua empresa no topo da navegação, pode contar com consultorias especializadas. E ressalto que o investimento, que não é absurdo vale a pena. Entre alguns benefícios, a empresa poderá saber como o usuário chega até o site de determinada empresa e com base nisso aplica as técnicas para que o site torne-se uma das opções em buscas aberta e buscas mais fechadas.

As que já adotaram esta estratégia de aparecer tanto na busca gratuita (orgânica) como no link patrocinado, conseguiram cercar seus os públicos que consultam os links como os que consultam apenas a busca orgânica. Há cases que a página da empresa teve seu resultado evoluído em mais de 1000%.

E o mais interessante é que este trabalho pode ser realizado por pequenas, médias e grandes empresas com o custo baixíssimo.

Mais resultados podem ser obtidos por empresas que realizam este trabalho mensalmente. Isto é importante pois novas empresas entram na internet e os buscadores realizam a mudança de algoritmo. Com isto o monitoramento da situação é fundamental para um planejamento das próximas ações para garantir que o site continue sempre com boa relevância.

Portanto, afirmo que estar na internet de forma estratégica é questão de sobrevivência para empresas que estão na era ciber.

Ricardo Florêncio - é diretor da Datto – ricardo.florencio@datto.com.br

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Falha do IE expõe cookies dos usuários

Todas as versões do browser apresentam vulnerabilidade; Microsoft diz que risco é considerado baixo

Por Redação Administradores, www.administradores.com.br

Um especialista independente em segurança na internet encontrou uma grave falha de segurança no navegador da Microsoft, o Internet Explorer, que permite a hackers executarem uma manobra que ele chamou de "sequestro de cookies". Dessa forma, os usuários teriam expostas todas as suas senhas, inclusive do Twitter e Facebook.

O limite para a ação dos criminosos, segundo o pesquisador, é unicamente a imaginação. "Qualquer site, qualquer cookie", afirmou, em entrevista à Agência Reuters, o italiano Rosario Valotta. Os cookies são um tipo de arquivo gerado automaticamente pelos navegadores que contêm dados de usuários, como nomes de usuário e senhas de acesso a portais e serviços. Assim, não é necessário digitar todos os dados novamente quando uma aba ou browser é fechado.

A falha de segurança não é exclusivo de versões antigas do Internet Explorer. De acordo com Valotta, o IE9, lançado no começo do ano, apresenta a mesma vulnerabilidade. Ele afirma que, para sequestrar os cookies, o hacker só precisa conseguir que o usuário arraste um objeto pela tela.

Um porta-voz da Microsoft garantiu que o risco é baixo, devido ao nível de interação requerido com o internauta. Todavia, o pesquisador afirmou que conseguiu executar a tarefa com relativa facilidade. Ele conseguiu 80 cookies ao postar, no Facebook, um jogo que desafiava os usuários a despir uma mulher arrastando as "peças" de roupa. Isso com apenas 150 amigos.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Saiba qual é a melhor maneira de pedir demissão

Segundo especialistas, o primeiro passo que o profissional terá de dar é pedir ao chefe, logo no início do dia, um horário disponível para conversar

Infomoney

Fonte: http://www.google.com.br/imghp
Uma das características do mercado de trabalho aquecido é o aumento do número de demissão por parte dos profissionais. Antes de partir para uma nova oportunidade as pessoas têm de comunicar o seu desligamento ao chefe. Para muitos, esta etapa pode ser considerada a mais difícil do processo.

O primeiro passo que o profissional terá de dar é pedir ao chefe, logo no início do dia, um horário disponível para conversar. “De manhã, você não está envolvido com o trabalho e o seu chefe só tem em mente o planejamento das atividades do dia”, aconselha a consultora associada da Muttare, consultoria de gestão, Roberta Yono Ebina.

Durante a conversa, o profissional deve dizer que está saindo porque recebeu uma proposta para trabalhar em determinada empresa e até mesmo citar, se for o caso, o valor a mais que irá receber. Além disso, a pessoa tem de negociar alguns dias para ficar na empresa, geralmente, são 15 dias, tempo suficiente para finalizar o trabalho e treinar alguém para ficar no lugar.

Motivos
De acordo com a diretora-presidente da consultoria Projeto RH, Eliane Figueiredo, o profissional tem de ser honesto e citar os reais motivos que o levaram a esta escolha. Ela ressalta que muitas pessoas trocam de emprego porque trabalham cerca de 10 horas por dia, porque moram longe, fazem muitas viagens, entre outros.

Já Roberta afirma que existem outras razões que levam o profissional a se demitir. O primeiro é a falta de perspectiva de estrutura hierárquica ou de conquistar outras oportunidades horizontalmente, ou seja, o profissional não tem chance de ser promovido e nem de trabalhar em outras áreas da empresa.

O segundo motivo é que a estrutura da empresa não permite que ele tenha crescimento. Em algumas organizações, por exemplo, o profissional não pode receber outra promoção em menos de seis meses depois de mudou de cargo, dessa maneira ele deixa de concorrer automaticamente à vaga que está aberta.

As pessoas mudam de emprego também porque não se identificam com a cultura da empresa, por se sentirem frustados quando a empresa afirma que segue alguns valores, mas no dia a dia, a situação é contrária.

Por fim, o quarto motivo, é a falta de entendimento com o chefe. Segundo a especialista, os problemas com o relacionamento com o chefe correspondentem entre 75% e 80% dos casos de demissão.

Problema com o chefe
Quando o problema é com o chefe, Roberta explica que as pessoas não falam a verdade. “Eles inventam outras razões, mas os consultores [de Recursos Humanos] percebem”. Ela acrescenta que as pessoas têm medo de represálias, como não conseguir uma carta de indicação.

“Muitos chefes em vez de aprender, se sente traídos. A arrogância é tanta que eles não aprendem com os erros”, diz.

Eliane afirma ainda que, no momento de anunciar o desligamento, o profissional não deve “lavar roupa suja”. Caso sinta a necessidade de falar sobre o assunto, ela indica que a pessoa seja educada e aponte que o chefe e ele seguem linhas diferentes de trabalho.

“É importante lembrar que o mundo é redondo e que mais para frente as pessoas podem se encontrar. A pessoa tem de deixar uma boa imagem”, finaliza.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

domingo, 29 de maio de 2011

Nove alimentos para deixar a imunidade nas alturas Transforme-os em aliados e deixe a saúde perfeita

Os alimentos são ricos em vitaminas, minerais e outras substâncias que auxiliam na manutenção do sistema imunológico

Por Minha Vida

Sua imunidade anda baixa? Ou, melhor ainda, você não quer dar chance para que nenhum mal afete a sua saúde? Aposte em um prato de comida bem equilibrado, principalmente com os ingredientes certos. "Os alimentos são ricos em vitaminas, minerais e outras substâncias que auxiliam na manutenção do sistema imunológico", afirma Ioná Zalcman, mestre em nutrição pela Universidade Federal de São Paulo. De acordo com a nutricionista, atingir a recomendação diária de consumo de frutas e vegetais já garante uma defesa melhor. "O consumo deve ser de cinco porções por dia: três frutas e dois vegetais", completa. A seguir, confira a lista de campeões da blindagem e conheça os motivos que tornam esses alimentos poderosos aliados do organismo.

1. Frutas cítricas, como laranja, acerola, kiwi, tomate, além de brócolis, couve e pimentão verde e vermelho são ricos em vitamina C, antioxidante que aumenta a resistência do organismo.

2. Vegetais verdes escuros (brócolis, couve, espinafre), feijão, cogumelo (shimeji) e fígado são alguns dos alimentos que apresentam ácido fólico. O nutriente auxilia na formação de glóbulos brancos, responsáveis pela defesa do organismo.

3. Cereais integrais, castanhas, sementes e leguminosas (feijão, lentilha, ervilha, grão de bico), são ricos em zinco, nutriente que combate resfriados, gripes e outras doenças do sistema imunológico.

4. Noz, castanha, amêndoa e óleos vegetais (de girassol, gérmem de trigo, milho e canola) são ricos em vitamina E. Ela é benéfica, principalmente para os idosos, agindo no combate à diminuição da atividade imunológica por conta da idade.

5. Tomate, rico em licopeno, é forte aliado para combater doenças cardiovasculares, removendo radicais livres do organismo.

6. Ômega-3 presente, por exemplo, no azeite e no salmão, auxilia as artérias a permanecerem longe de inflamações, ajudando a imunidade do corpo.

7. Castanha-do-Pará e cogumelos (Champignon) contêm selênio, um forte antioxidante que combate os radicais livres, melhorando a imunidade do corpo e acelerando a cicatrização do organismo.

8. Gengibre, rico em vitaminas C, B6 e com ação bactericida, vai além de ajudar a tratar inflamações da garganta e auxilia nas defesas do organismo.

9. Pimenta é fonte de betacaroneto, substância que se transforma em vitamina A, nutriente que protege o organismo de infecções.

Fonte: Minha Vida

sábado, 28 de maio de 2011

Dez dicas para melhorar o faturamento da sua loja virtual

O comércio eletrônico brasileiro encerrou o ano de 2010 com um faturamento de R$ 14,3 bilhões, um crescimento de 35% em relação a 2009, de acordo com estudo da e-bit.

Por Natan Sztamfater 

Fonte: http://www.google.com.br/imgres
O comércio eletrônico brasileiro encerrou o ano de 2010 com um faturamento de R$ 14,3 bilhões, um crescimento de 35% em relação ao ano anterior, de acordo com estudo da e-bit. Para que as lojas virtuais de pequeno e médio porte acompanhem e façam parte desse cenário, preparei dez dicas para que esse setor evolua a passos largos junto aos cerca de 67 milhões de internautas no Brasil, segundo levantamento feito pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Acompanhe:

1. Fidelize seus clientes
Garantir um bom atendimento, investindo em ferramentas de atendimento, tecnologias e logística baseada em sistema ágil para entrega são fatores que aumentam de forma significativa o processo de fidelização. Quanto melhor você atender ao cliente na web, mais chances terá de fazer com que ele viralize sua loja virtual, indicando seu site para novos e potenciais consumidores. A presença em redes sociais pode ajudar muito nesse momento.

2. Aumente seu Mix de Produtos
Incentive a recompra dos consumidores já fidelizados. Mapeie seu comportamento de compras pelo histórico do e-consumidor no site e ofereça a ele, por meio de campanhas de email marketing, produtos que agregam valor ao que ele comprou. Ex: se hoje ele comprou um DVD, amanhã envie uma oferta diferenciada para um livro relacionado.

3. Otimize sua loja virtual para as ferramentas de busca
O termo otimização de palavras em buscadores vem se tornando fundamental para quem vive da web. Inicie ou mantenha de forma permanente campanhas de links patrocinados. Contrate agências especializadas para que as palavras chave de seu negócio, ao serem digitadas nos buscadores como Google, sejam direcionadas para a sua loja virtual. Busque as palavras com mais resultados em venda e arrisque! Invista! Hoje a ferramenta de Links Patrocinados é uma das campeãs para resultados imediatos. Grandes lojas virtuais apostam nisso e conseguem excelentes resultados.

4. Fale Mais com o e-consumidor
Intensifique o relacionamento com seus clientes. Analise seus interesses por meio das compras já realizadas em seu site e mande promoções exclusivas de duas a três vezes por semana.

5. Vá além do propósito de ser uma loja virtual
Transforme sua loja online em um mundo de oportunidades. Crie novas necessidades na mente do seu visitante. Gere a demanda para que ele busque em seu site o que nem imaginava que precisaria. Procure manter os produtos por categorias e preços agressivos em itens que podem ser complementares aos de seu interesse.

6. Divulgue a confiabilidade de seu site
Profissionalize as comunicações internas da loja, como banners, fotos, peças de email marketing, entre outras. Invista em selos de segurança confiáveis e que apareçam em destaque em todas as páginas da loja virtual, fazendo com que o e-consumidor se sinta seguro ao comprar em sua loja virtual. Evidencie também que é uma loja reconhecida pelo e-bit e divulgue o selo no portal.

7. Personalize seus produtos
Busque produtos exclusivos para vender em sua loja: Torne-se uma loja virtual incomparável com qualquer grande player do mercado de internet.

8. Invista em comparadores de preço
Esteja presente nos principais portais comparadores de preço. Eles surgiram para atender a um consumidor acostumado a pechinchar na web. Utilize a logomarca e apresente-se para os mais de 20 milhões de e-consumidores no Brasil.

9. Acompanhe os relatórios do Google Analytics
Veja de perto qual mídia de fato está trazendo resultados para sua loja. Identifique os melhores e invista! O monitoramento do tráfego em seu e-commerce é um dos seus melhores conselheiros.

10. Faça parcerias
Busque parcerias novas todos os dias, dentro de seu mercado específico de varejo e também no mercado de internet. De um dia para o outro suas vendas podem dobrar. Contribua e seja retribuído.

Natan Sztamfater, CEO da Cookie Web, agência de marketing digital especializada em e-commerce PMEs.

Para 42% dos executivos, currículos dos brasileiros não são confiáveis

Entre os exageros mencionados no documento, as empresas ressaltam o aumento das responsabilidades da experiência

Infomoney

Fonte: www.google.com.br/imgres
O primeiro contato do profissional interessado em ingressar em uma empresa se dá pelo seu currículo. É por meio dele que o empregador irá decidir se convidará o candidato a participar do processo seletivo. Talvez devido à importância que o documento tem, 42% dos executivos brasileiros responsáveis pelo recrutamento afirmam que os candidatos exageram nas informações, o que pode tornar o currículo não confiável.

Apesar disso, 58% acreditam que os currículos refletem exatamente o perfil do profissional. Os dados fazem parte de uma pesquisa realizada pela Robert Half com executivos de alta gestão das áreas de Recursos Humanos e Finanças.

Sobre os exageros
Entre os exageros mencionados no documento, os executivos brasileiros ressaltam o aumento das responsabilidades da experiência atual/anterior, com 48% das citações, conhecimento em idiomas, com 46%, e razões para deixar o emprego atual/antigo, com 42%.

Além disso, os entrevistados citaram que percebem um aumento em relação a responsabilidades de gestão e de supervisão de pessoas (39%), conhecimento de software (35%), nível de educação/diplomas (18%).

O que as empresas avaliam
Entre os itens que primeiro são avaliados pelos recrutadores no Brasil, estão a experiência profissional, indicada por 36%, seguida pelas qualificações profissionais, com 29%. As empresas também analisam a formação do candidato (13%) e as habilidades técnicas (12%).

O cargo e as informações pessoais, como idade, estado civil e endereço, foram indicados por apenas 5% dos executivos. Em relação ao idioma, nenhum recrutador indicou a fluência como o primeiro item que é avaliado no currículo. Já 1% informou que busca informações do profissional em rede sociais.

Redes sociais
Em relação às redes sociais, 83% dos entrevistados disseram que informações negativas ou fotos inadequadas em perfis podem influenciar na avaliação de um candidato qualificado, mesmo que a pessoa tenha um ótimo currículo.

Entre estes, 29% falariam com o candidato o motivo, enquanto 15% não tocariam no assunto. Já outros 39% falariam com o candidato e depois decidiriam se aprovariam o profissional.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Hospede-se em um bangalô: conheça opções ao redor do mundo

Ter uma vista voltada às águas límpidas de ilhas paradisíacas espalhadas pelo mundo é um colírio para os olhos. Mas que tal se tornar parte dessa paisagem e abrir mão de um quarto tradicional para se instalar em um bangalô?

Vidaeestilo

Ter uma vista voltada às águas límpidas de ilhas paradisíacas espalhadas pelo mundo é um colírio para os olhos. Mas que tal se tornar parte dessa paisagem e abrir mão de um quarto tradicional para se instalar em um bangalô? O site da rede de TV norte-americana CNN elencou cinco resorts que oferecem essa opção, para inspirar quem pretende se isolar do mundo e ter como companhia a paz vinda das águas.

A matéria alerta que, para alcançar estes paraísos, é preciso abrir a carteira e viajar longe. Mas vale a pena: os resorts que reservam bangalôs sobre a água não são tão comuns e, justamente por isso, são imperdíveis.

Segundo o site OverwaterBungalows.net, cerca de 90 hotéis no mundo possuem bangalôs, sendo que pelo menos dois terços deles estão concentrados nas Ilhas Maldivas. Enquanto o Caribe não investe muito neste tipo de instalação, por causa dos furacões, a Polinésia Francesa e as Maldivas mantêm um clima mais hospitaleiro.

Para tornar o passeio ainda mais inesquecível, a maioria dos hotéis presenteia os visitantes com painéis de vidro colocados no chão, para que os hóspedes tenham mais um motivo para se encantar com a cor das águas.

Bora Bora Nui Resort & Spa, Bora Bora, Polinésia Francesa
Este resort oferece vários bangalôs e tem também opções com dois andares. Uma fonte ouvida pelo site conta que por mais que o local esteja lotado de pessoas, elas raramente são vistas, pois ninguém quer colocar o pé pra fora do seu bangalô.

O local está entre os ganhadores do prêmio Trip Advisor´s 2011 Travelers' Choice, uma votação online que elegeu os 10 melhores hotéis no Pacífico Sul para momentos românticos. Uma noite no local, durante o verão, não sai por menos do que U$ 1,170, comprando antecipadamente.

Te Tiare Beach Resort, Huahine, Polinésia Francesa
Há 30 minutos de avião do Tahiti, as duas ilhas de Huahine, conhecidas com "um dos mais bem guardados segredos do turismo do Tahiti", oferecem sítios arqueológicos, plantações de manga, banana e pomares de mamão.

É lá que fica o Te Tiare Beach Resort, com vários tipos de barracas. Para quem não abre mão dos bangalôs, é preciso reservar com antecedência: existem apenas 11 deles no local. A vista para os lagos e recifes tornam o lugar ainda mais romântico. O pôr do sol do local também é um espetáculo a parte, especialmente ao oeste dos bangalôs.

Na alta temporada - entre junho e outubro - uma noite no bangalô custa em torno de US$ 830. Quem for visitar o local fora desta época, poderá economizar um pouquinho, pagando pela diária U$ 720.

Constance Moofushi Resort, Ilhas Maldivas
Conhecido como um ótimo lugar para a prática do mergulho, a zona de South Ari Atoll, nas ilhas Maldivas, oferece aos visitantes maravilhosas vistas do Oceano Índico. Se você sair da barraca encontrará muito o que fazer, incluindo diversas modalidades de mergulho, pesca noturna e outras atividades.

Para quem puder gastar um pouquinho mais, vale experimentar o passeio batizado de "Robinson Crusoe", que leva casais para desfrutarem de uma ilha deserta.

O pacote incluindo refeições, bebidas e outras amenidades, custa a partir de U$ 705 por pessoa. Durante os feriados, este valor chega a US$ 1,700.

Four Seasons Bora Bora, Polinésia Francesa
Este resort oferece 100 bangalôs sobre a água, permitindo que o turista escolha qual ângulo de visão quer ter ao longo da sua estadia. De acordo com o site, o mais disputado é o que dá vista privilegiada para o Monte Otemanu e a uma piscina particular.

Uma noite no bangalô do Fours Seasons Bora Bora sai por U$ 2,700. O hotel também está entre os top 10 hoteis mais românticos do Pacífico Sul, segundo o Trip Advisor's 2011 Travelers Choice Awards.

Cayo Espanto, Belize
A menos de duas horas de avião de Miami e Houston, o Cayo Espanto é um dos poucos resorts com bangalôs localizados perto dos Estados Unidos. Na ilha existem sete casas, incluindo um bangalô sobre a água, o que torna o lugar bastante reservado.

O resort cinco estrelas possui painel de vidro para que os visitantes possam observar a água durante a sua estadia, que sai por U$ 1,295 a diária. O pacote inclui refeições, bebidas e serviço exclusivo de mordomo.

Fonte: http://vidaeestilo.terra.com.br/turismo/

sexta-feira, 27 de maio de 2011

Rio receberá centro de transmissão de imagens da Copa de 2014

O IBC funcionará no Riocentro, na zona oeste do Rio. Ele será o centro de geração de imagens da Copa do Mundo para todos os países

Agência Brasil

Rio de Janeiro - A prefeitura do Rio de Janeiro informou hoje (27) que a cidade foi escolhida pela Federação Internacional de Futebol (Fifa) para ser o Centro Internacional de Transmissão (IBC, sua sigla em inglês) da Copa do Mundo de 2014, que será realizada no Brasil. Mais duas cidades disputavam para sediar o centro: São Paulo e Brasília.

O IBC funcionará no Riocentro, na zona oeste do Rio. Ele será o centro de geração de imagens da Copa do Mundo para todos os países. Na Copa do Mundo de 2010, na África do Sul, o IBC abrigou 13 mil profissionais de mídia.

O anúncio da escolha do Rio foi feito hoje em Zurique, na Suíça, durante o encerramento da segunda reunião do Conselho de Administração do Comitê Organizador Local da Copa. "Segundo a decisão do comitê, o Rio de Janeiro foi escolhido por diversas razões, incluindo a qualidade da infraestrutura, a diversidade de acomodações e atividades disponíveis na cidade, bem como pelo desejo manifestado com ênfase para fornecer todo apoio possível ao IBC e a seus usuários", informa a nota da prefeitura do Rio.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Pagamentos via celular estão chegando ao Brasil

Vivemos em uma realidade em que é cada vez mais comum substituirmos o dinheiro pelos cartões de débito e de crédito. Pouca gente ainda anda com cheque ou dinheiro no bolso.

Por Nátaly Dauer | Geek
Fonte: http://www.google.com.br/imghp
Vivemos em uma realidade em que é cada vez mais comum substituirmos o dinheiro pelos cartões de débito e de crédito. Pouca gente ainda anda com cheque ou dinheiro no bolso. Mas isso pode mudar em breve, já que o futuro dos pagamentos em lojas, mercados e bares pode estar nos smartphones, e não mais nas carteiras.

No Brasil, o serviço já está próximo de ser implementado, e, ao que parece, a tecnologia deverá ser a NFC, ou Near Field Communication, que chega aos smartphones por meio de um chip, já incluso nos modelos mais recentes.

Como funciona a NFC?
Esta comunicação pode ser feita tanto por um aparelho ativo quanto com um passivo, com um cartão ou uma etiqueta, ou mesmo na forma de pareamento entre aparelhos ativos, como acontece com o Bluetooth.

Um termo utilizado para esta nova forma de pagamento é “contactless payment” (em inglês, “pagamento sem contato”). Basicamente, um aparelho que possua o chip NFC é aproximado de outro aparelho, que seria o responsável por receber o pagamento – o equivalente às máquinas nas quais se inserem os cartões atualmente. O smartphone deve possuir um aplicativo que identificará o sinal e conferirá os dados de pagamento (do cartão de crédito, por exemplo), previamente configurados pelo usuário.

Como a comunicação entre os aparelhos é feita em uma distância inferior a 10 centímetros, a segurança é garantida e acredita-se que interceptações dos sinais sejam praticamente nulas.
Além de pagamentos, a NFC permite a compra de passagens de ônibus, metrôs e trens, por exemplo.

Qualquer aparelho pode usar esta tecnologia?
Apesar de ser o responsável pela tecnologia, o chip NFC é ainda um limitante para a popularização desta forma de pagamento, já que famosos – e queridos – aparelhos como o iPhone 4, da Apple, o Galaxy S, da Samsung ou o Droid/Milestone, da Motorola, ainda não o possuem. A Nokia é uma das precursoras na área, com aparelhos antigos – e até mesmo descontinuados – que possuem o chip.
Já o Samsung Nexus S, conhecido como Google Phone, já possui o tal chip, e a tecnologia de pagamentos está presente na mais recente versão do seu sistema operacional, o Android Gingerbread 2.3.3. Além da Google, a Microsoft também acredita na tecnologia, e espera-se que as próximas atualizações do Windows Phone 7 também possibilitem pagamentos via NFC.

Quanto aos outros gigantes da telefonia móvel, surgem diversos rumores, mas ainda não há nenhuma certeza se, ou quando, eles terão a tecnologia NFC. Contudo, pesquisas indicam que, em 2011, os smartphones com o chip NFC já representarão cerca de 28% do total de aparelhos nos mundo, informa o site IP News.

As empresas e a popularização dos pagamentos via celular
Diversos esforços estão sendo feitos no sentido de incentivar esse tipo de transação. Uma iniciativa recente da Visa nos Estados Unidos tentou tornar a ideia de pagamentos via celular mais viva na cabeça dos consumidores. A empresa se uniu à Gap, fornecendo descontos exclusivos nas lojas da marca por meio de um código especial que os clientes recebem via SMS no celular. Bastava que eles mostrassem o código ao atendente, e o desconto era dado automaticamente, conta o site Fast Company.

A Google também firmou nos Estados Unidos uma parceria com a MasterCard e o Citigroup para fazer com que a feature do Android Gingerbread 2.3.3 – que já possui suporte à tecnologia de comunicação de curta distância – possa ser utilizada pelos usuários, oferecendo uma forma de pagamento bastante segura, já que é difícil existir uma brecha para o acesso de cybercriminosos.

Em países da Europa é possível realizar pagamentos com os celulares com o sistema NFC da MasterCard, o PayPass, e o payWave, da Visa. No Japão, compra-se passagens do metrô e pagamentos em muitas lojas são realizados apenas com a aproximação do aparelho de um leitor especial.
E quando teremos novidades para estes lados?

No Brasil, este tipo de transação ainda deve demorar mais um pouco para existir, por conta do constante atraso da chegada de novas tecnologias no país, tanto da NFC quanto dos aparelhos compatíveis.
Em 2009, algumas empresas brasileiras já buscavam e testavam tecnologias para pagamentos via celular. Os bancos Bradesco e Banco do Brasil, as operadoras de telefonia móvel Vivo, Oi e Claro, além da Nokia e da Visa, estão entre elas.

Em 25 de agosto daquele ano, a Claro, a Visa, a Visanet, a Nokia, o Bradesco e o Banco do Brasil firmaram uma parceria para um período de testes com a tecnologia NFC, para apenas 70 usuários. Na época, poucos aparelhos possuíam o chip, e o aparelho escolhido para os testes foi o Nokia 6212. O projeto, porém, não vingou.

Mas não é apenas com a tecnologia de ponta da NFC que os pagamentos podem ser realizados pelo celular. A rede GSM também pode ser utilizada para que informações de pagamento e cobrança possam ser trocadas entre comprador, vendedor e provedor do serviço via SMS.

A Oi, por exemplo, já possui um serviço de pagamento via celular, o Oi Paggo, que funciona desta forma. A operadora garante que as transações através da rede GSM são seguras e todas as confirmações necessitam de senhas. Agora, porém, a Oi pretende ir além, com a utilização da tecnologia NFC para aprimorar seu sistema de pagamento, sem depender da troca de mensagens de texto.

De maneira semelhante ao serviço de pagamentos via SMS da Oi, a Vivo firmou uma parceria com o PayPal para oferecer algo deste tipo a seus clientes. Outra vantagem dessa interação para pagamentos é a possibilidade de inserir crédito nos aparelhos com um simples telefonema, interligando a operadora e o banco do cliente.

Em entrevista, a coordenadora do sistema PagSeguro, Joyce Simplício Boano, contou que o mercado brasileiro ainda está avaliando a necessidade e a viabilidade do uso da tecnologia NFC no país, já que existem outras soluções para compras mobile e a segurança nas transações online ainda é um tabu entre os consumidores. A maioria ainda tem medo de realizar compras via internet ou celular.

Joyce explica também que o sistema PagSeguro, apesar de não usar a NFC e não ter uma solução específica para mobile, já pode ser usado nas compras por celular em aparelhos com sistemas Android ou para iPhones, o que abrange 95% da base de clientes que realizam esse tipo de negociação. As pesquisas utilizadas pelo serviço também mostram que donos de aparelhos mais simples ou com outros sistemas não fazem parte do perfil destes consumidores. O PagSeguro também está integrado ao OiPaggo.

Mais detalhes sobre a tecnologia podem ser encontrados em páginas como o fórum de discussões NFC-Forum, criado pelo Nokia, Phillips e Sony.


Publicado em: http://noracomunicacao.blogspot.com/

Novidade: Twitter abre a timeline dos usuários

Agora, mesmo sem estar logado o usuário pode acessar o campo que mostra as pessoas seguidas por outra

Adnews


Fonte: http://www.google.com.br/imghp
Sem nenhum alarde, o Twitter continua mexendo em seu layout. A última atualização propõe duas novidades: uma delas deixou o microblog mais escancarado, a outra pode ser a porta de entrada para um novo formato de publicidade.

Agora, mesmo sem estar logado o usuário pode acessar o campo que mostra as pessoas seguidas por outra. Além disso, o Twitter colocou uma aba nessa página que mostra a timeline da pessoa, ou seja, qualquer internauta passou a ter acesso à interface de qualquer tuiteiro, sem sequer precisar de cadastro no site para isso.

Por exemplo, ao acessar a conta do Adnews no Twitter, basta clicar em "Following" para ver a nossa timeline.

Mais Promoted?
O Twitter também colocou um "shuffle" na área superior à direita da página "Following". Ao clicar ali, o internauta é direcionado a uma conta aleatória do microblog.

A novidade sugere que a pessoa "vá para uma conta de destaque" e pode ser a abertura para um novo tipo de Promoted, seguindo os moldes das contas e assuntos patrocinados no microblog.

As informações são do TechCrunch

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Estresse no trabalho atinge 100% dos brasileiros. Quer saber como evitá-lo?

O estudo da Robert Half aponta que 60% dos profissionais acreditam que o ambiente de trabalho e a fofoca entre colegas são os principais fatores que geram o problema

Infomoney

Não é de hoje que o estresse é apontado como um dos grandes males dos nosso século. Com tanta coisa acontecendo ao mesmo tempo e cada vez mais rápido, de fato, é difícil acompanhar tudo. Ainda assim, quando se trata de trabalho, as exigências só crescem. E, para fechar esse círculo que envolve pressão, exigências cada vez maiores, mercado competitivo e velocidade está o estresse.

É fácil encontrar um profissional que, por algum momento, afirmou que sentiu estresse. No Brasil, segundo pesquisa realizada pela Robert Half, todos os profissionais consultados disseram que estão estressados no trabalho. O estudo ouviu 2.525 executivos em dez países e apontou que 80% dos participantes de países como Áustria, República Checa e Dubai possuem estresse.

“Quando a pessoa vivencia uma situação de estresse, ela tende a achar que é pressionada o tempo todo. Sente-se sempre cobrada, de tal forma que, na maioria das vezes, nem consegue diferenciar o que é estresse e o que é cobrança”, explica o presidente da ABQV (Associação Brasileira de Qualidade de Vida), Aberto Ogata.

O estresse é considerado por muitos, como Ogata, uma doença, com prejuízos para além do ambiente corporativo. “O estresse gera um aumento na adrenalina, prejudica a concentração, piora o desempenho e causa problemas de saúde”, afirma o presidente executivo do Insadi (Instituto Avançado de Desenvolvimento Intelectual), Dieter Kelber.

Apesar de um ambiente de trabalho no qual se exige cada vez mais profissionais multitarefa, não é apenas isso que gera o estresse. Os especialistas concordam que existem profissionais que se dão muito bem com esse ambiente. Outros não. “São inúmeras as fontes de estresse e estas passam por diferentes ordens, que podem ir desde fatores relacionados à organização e processos do trabalho, até os fatores ambientais e relacionais”, explica Ogata. “A doença é multifatorial e não existe uma causa única. Temos de ver o indivíduo dentro de um contexto mais amplo”.

O cenário favorável
O contexto do profissional é que influenciará o surgimento do estresse. A consultora da Search RH Consultoria em Recursos Humanos, Fabiana Goes, explica que alguns comportamentos do próprio profissional podem favorecer a doença. “Trabalhar muitas horas por dia e passar muito tempo longe da família faz com que o profissional tende a ter mais estresse”, afirma a consultora.

O estudo da Robert Half aponta que 60% dos profissionais acreditam que o ambiente de trabalho e a fofoca entre colegas são os principais fatores que geram o estresse. Para as mulheres, esses fatores têm um peso maior, de 66% contra 49% dos homens. O aumento da carga de trabalho é o segundo fator que gera estresse para 47% dos brasileiros. Pressões do chefe consideradas desnecessárias foram indicadas por 44% dos profissionais como fator gerador de estresse.

Fabiana ainda aponta outros motivos como a incompatibilidade dos valores do profissional com os da empresa. “Por isso, é importante conhecer o lugar onde você vai trabalhar e entender um pouco da cultura organizacional”, afirma a consultora. Kelber completa a lista de fatores com possíveis desentendimentos com a liderança. E ressalta que o excesso de ansiedade também provoca a doença.

Esses comportamentos, explica Ogata, devem ser evitados, a fim de não criar um cenário favorável para a doença. “É importante que as pessoas consigam se afastar da tensão que o problema traz e foquem as energias na direção das alternativas de solução. Assim, elas passam a ter uma atitude mais positiva e resolutiva diante da dificuldade”, explica.

Um olhar sobre os problemas
Entender se o que está sentindo é estresse ou puro cansaço não é tão simples. Tanto é que a analista de research Fernanda Oliveira, 27, não entende por que há algumas semanas seu médico diagnosticou um estado de estresse. “Não entendo o motivo, porque não trabalho além do meu horário, nem sob muita pressão, gosto do que faço e ganho relativamente bem”, conta.

Ela conta que seu sono é um pouco agitado e que tem dores de cabeça crônicas há três anos. Por enquanto, Fernanda se concentrará nos esportes para tentar resolver um problema que ela não enxerga. “Terapia eu não procuro, porque não sou muito fã. Vou procurar um esporte mesmo”, diz.

Fernanda pode não enxergar o problema, mas ele pode existir, ainda que de maneira mais contida. Ogata explica que dores de cabeça constantes e distúrbios do sono são alguns dos sintomas da doença. Outros são alteração de humor, irritabilidade, depressão, alergias, tonturas, náuseas e mal estar. No extremo, o estresse pode provocar doenças no aparelho digestivo e até disfunções sexuais.

Busque alternativas
Kelber ressalta que, muitas vezes, o profissional não enxerga mesmo que está com estresse. “Você quer saber se está com estresse? Pegunte a um amigo”, diz o especialista. Ao contrário do que muitos acreditam, livrar-se do estresse é mais simples do que se pensa. “As pessoas geralmente acham que precisam fazer grandes mudanças em suas rotinas, para ter mais qualidade de vida”, explica Ogata.

Para manter esse equilíbrio, o presidente da ABQV dá dicas que podem ajudar no trabalho e na vida pessoal:
  • Busque entender de forma clara as expectativas dos seus superiores. Para isso, desenvolva a assertividade e capacidade de comunicação;
  • Equilibre o seu estilo de vida. Você precisa de tempo para manter seus relacionamentos, ter um sono repousante, praticar atividade física e ter tempo para o lazer;
  • Mantenha o otimismo. Avalie seu estado de espírito e procure ver as coisas sob uma perspectiva positiva;
  • Desenvolva mais as habilidades de delegar tarefas aos subordinados, priorizar e focar naquilo que realmente importa;
  • Aprimore o seu planejamento diário. Evite desperdício de tempo com reuniões inúteis e improdutivas;
  • Cuide-se bem. Busque o equilíbrio entre mente, corpo e espírito. Uma alimentação saudável é fundamental.
  • Liste os fatores de estresse em sua vida, reconheça-os e mantenha-os no nível consciente.
  • Procure desacelerar o pensamento negativo.
  • Mantenha o equilíbrio emocional.
Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

quinta-feira, 26 de maio de 2011

Interessados em trabalhar no setor bancário podem se cadastrar em site específico

Lançado na última terça, 24, site permite que profissionais interessados no setor cadastrem gratuitamente o currículo

Infomoney

Interessados em trabalhar no setor bancário já podem se cadastrar em um novo serviço da Febraban (Federação Brasileira de Bancos), o Febraban Oportunidades.

Lançado na última terça-feira (24), o site permite que os profissionais interessados em uma vaga no setor cadastrem gratuitamente o currículo, proporcionando aos candidatos praticidade, já que o documento poderá ser acessado pelas maiores instituições do país.

“O mercado de trabalho bancário oferece excelentes oportunidades de carreira e desenvolvimento, tanto para jovens quanto para profissionais já experientes”, diz o diretor de relações do trabalho da Federação, Magnus Ribas Apostólico.

Bancos
Participam do projeto os bancos BIC, Bradesco, Citi, Fibra, HSBC, Itaú-Unibanco, Mercantil do Brasil, Safra, Santander e Votorantim.

O Banco do Brasil também participa do projeto, porém, apenas para recrutamento de estagiários e aprendizes, já que o ingresso regular é feito por meio de concurso público.

Além do cadastro de currículos, o Febraban Oportunidades oferece informações sobre o funcionamento dos bancos dos diversos departamentos em que as instituições poderão oferecer vagas, como marketing, tesouraria, recursos humanos, agências e auditoria e compliance.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.

Esporte traz benefícios sociais e riqueza para o país, afirma pesquisa do SESI

O estudo, feito com 3.459 trabalhadores que participaram da etapa municipal dos Jogos do SESI em 2010, mostra que para cada R$ 1 investido na organização da competição, o país ganha R$ 11,50 em benefícios sociais e econômicos

Por Redação, www.administradores.com.br

Fonte: http://www.google.com.br/imghp
Uma pesquisa realizada pelo Serviço Social da Indústria (SESI) e divulgada ontem (25) aponta que, além de melhorar a saúde, a prática de atividades esportivas é importante para garantir avanços sociais e econômicos ao país. O estudo, feito com 3.459 trabalhadores que participaram da etapa municipal dos Jogos do SESI em 2010, mostra que para cada R$ 1 investido na organização da competição, o país ganha R$ 11,50 em benefícios sociais e econômicos.

Esse retorno significativo é resultado de um modelo estatístico, cujo ponto de partida foi a definição da Escala de Valores do Esporte. Construída com base em literatura científica, a escala faz um diagnóstico do comportamento durante a prática da atividade esportiva, o desempenho no trabalho, as relações com colegas e chefes, além do estilo de vida dos entrevistados.

A avaliação das respostas a um questionário com 39 perguntas, aplicado antes e três meses depois da competição, aponta uma série de mudanças positivas no perfil e no desempenho dos trabalhadores que participaram dos Jogos Municipais 2010. Com essas mudanças, os trabalhadores ganharam, em média, quatro pontos na Escala de Valores do Esporte, depois de participarem da competição. Com base no modelo estatístico adotado pelo SESI, concluiu-se que cada ponto ganho na Escala de Valores equivale a uma redução de R$ 32,34 no custo do presenteísmo ao ano, por trabalhador.

Jogos Nacionais
A abertura dos Jogos 2011 aconteceu ontem, em Simões Filho, na região metropolitana de Salvador. A competição reúne 1.087 trabalhadores de todo o Brasil, representantes de 234 empresas, em dez modalidades: atletismo, futebol de campo, futebol sete master, futsal, natação, voleibol, tênis de mesa, tênis de quadra, vôlei de praia trio e xadrez.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.