domingo, 31 de julho de 2011

8 razões pelas quais o iPad pode ser útil no mundo corporativo

Nos Estados Unidos e na Europa, muitas empresas adotaram o iPad para diversas funções, e no Brasil os executivos já começam a se atentar ao seu uso para fins corporativos.

Por Redação, www.administradores.com.br

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

Nos Estados Unidos e na Europa, muitas empresas adotaram o iPad para diversas funções, e no Brasil os executivos já começam a se atentar ao seu uso para fins corporativos. Para quem ainda não conhece os benefícios que o tablet pode trazer para a rotina empresarial, Wagner Oliveira, diretor de sistemas da Two-s, empresa que desenvolve aplicativos para tablet, lista oito argumentos para os brasileiros adotarem o gadget.

- A portabilidade da informação é um dos principais motivos para empresas adotarem o iPad. Com ele, os executivos podem acessar facilmente o e-mail corporativo e acompanhar, em tempo real, o que está acontecendo na empresa, mesmo estando ausentes.

- A bateria do iPad tem autonomia de dez horas. Por isso, em atividades externas, ele garante o contato entre quem está fora e dentro da empresa.

- Com os aplicativos certos, o iPad pode se tornar um grande aliado de executivos na gestão empresarial. Existem ferramentas que possibilitam rápido acesso às informações da empresa, como relatórios e gráficos de faturamento, permitindo que tomem decisões onde quer que estejam.

- O iPad também agiliza, por meio de aplicativos, processos operacionais, como o agendamento de reuniões, e permite aos supervisores o monitoramento de compromissos efetuados ou não por suas equipes.

- Com duas câmeras (a partir da versão 2), uma frontal e outra traseira, o tablet é ideal para tele-conferências, já que reproduz sons e imagens com alta qualidade.

- Com um processador de alto desempenho, o iPad proporciona um rápido fluxo de informações para quem está trabalhando e precisa de respostas rápidas.

- A economia de espaço físico é outro fator que favorece a substituição de computadores e notebooks por iPads. Em setores onde o espaço é concorrido, como uma linha de montagem, ou área de estoque de materiais, o tablet oferece muita funcionalidade ocupando pouquíssimo espaço.

- Discreto, o iPad pode ser transportado dentro de pastas e bolsas, evitando o uso de mochilas próprias para notebooks, que chamam a atenção de pessoas mal intencionadas.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Patentes verdes: amadurecendo a ideia

No Brasil, as patentes garantem ao seu detentor o direito de exploração econômica exclusiva pelo prazo de 20 ou 15 anos.

Por Márcio Mello Chaves, www.administradores.com.br

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

Uma patente pode ser definida como o direito de exploração temporário de uma invenção ou modelo de utilidade concedido ao seu inventor pelo Estado, como forma de incentivar o desenvolvimento das tecnologias e das ciências. Esse direito encontra amparo em nossa Constituição da República e é a fonte de proteção para todas as tecnologias permitidas pela Lei Federal que a rege.

No Brasil, as patentes garantem ao seu detentor o direito de exploração econômica exclusiva pelo prazo de 20 (vinte) ou 15 (quinze) anos contados da data de depósito do pedido, sendo assegurado um mínimo de 10 (dez) ou 07 (sete) anos a partir de sua concessão.

Via de regra, as normas que regem a propriedade industrial definem que são patenteáveis as invenções que (i) preencham o requisito da novidade; (ii) que sejam providas de uma atividade inventiva e (iii) que possuam aplicação industrial. Isso significa que, para serem protegidos por patentes, os inventos devem ser (a) novos, ou seja, não compreendidos no estado da técnica (tudo aquilo tornado acessível ao público antes da data de depósito do pedido de patente); (b) não decorrerem de maneira evidente do atual estado da técnica, assim entendido por um técnico no assunto; e (c) que possam ser utilizados ou produzidos em qualquer tipo de indústria.

Assim, aplicando-se este conceito e os requisitos estabelecidos por lei às invenções e modelos de utilidade criados, tendo como foco o desenvolvimento sustentável, chegamos ao objeto deste estudo, que são as "patentes verdes".

Ao longo dos últimos três séculos, a humanidade tem observado o avanço em sua capacidade de intervir negativamente no ambiente, decorrente do desenvolvimento tecnológico e industrial.

O desordenado anseio pelo desenvolvimento industrial, com o emprego massivo de tecnologias que não vislumbravam qualquer tipo de preocupação com os preceitos de desenvolvimento sustentável, resultou na crescente demanda por recursos naturais e no aumento da emissão de poluentes em todas as suas formas. Tendo como foco, pois, a preocupação com esses impactos, e objetivando o desenvolvimento sustentável, vários são os exemplos de tecnologias que foram criadas e desenvolvidas para esse fim: geração de energia a partir de resíduos (waste-to-energy); conversores de plástico em petróleo; rodovias solares; automóveis movidos a ar; fazendas verticais, etc. Estes são apenas alguns dos inventos que fomentado calorosas discussões entre quem apóia e quem desaprova as chamadas "patentes verdes".

O centro desta polêmica reside no fato de inúmeros escritórios de patentes ao redor do mundo, atentos à tendência mundial de estímulo ao desenvolvimento de tecnologias sustentáveis, criarem formas de incentivar e facilitar o processo de patenteamento dessas tecnologias. Embora a finalidade dos inventos verdes notoriamente seja a proteção do meio ambiente – algo que, segundo o consenso geral, não pode esperar – o processo rápido e simplificado para a concessão de patentes de tecnologias verdes tem gerado discussões acerca do aparente conflito de dois bens juridicamente tutelados: desenvolvimento tecnológico versus meio ambiente.

Com a finalidade de incentivar a criação de inventos que têm o objetivo de reduzir os impactos causados ao meio ambiente, escritórios de registros de patentes de vários países do mundo, como já mencionado, têm adotado procedimentos, conhecidos como fast-track ou "pista rápida", que visam acelerar a análise dos pedidos de patentes verdes. A adoção de tais procedimentos mais céleres tem o intuito de estimular a criação das tecnologias verdes, mediante a concessão das patentes em períodos substancialmente menores, agilizando a oferta desses inventos ao mercado de consumo.

O órgão responsável pelas patentes americanas (USPTO), por exemplo, reduziu de 40 (quarenta) para 12 (doze) meses o tempo de análise e concessão das patentes verdes, mas limitado aos primeiros 3.000 (três mil) pedidos protocolados. No Reino Unido, o decréscimo temporal oferecido para esse tipo de inovação é ainda maior: de 32 (trinta e dois) meses para apenas 8 (oito) meses.

No Brasil, apesar de inexistir até a presente data previsão de procedimentos similares, merece destaque o acordo de cooperação entre o INPI e o KIPO (escritório sul-coreano de propriedade intelectual), que tem como um de seus principais pontos o estudo de um fast-track para a análise de patentes verdes. Sob esse prisma, há ainda de ser observado que a proteção ao direito de exploração exclusiva das patentes verdes, além de uma forma de incentivar a aparição de novas inovações nesse ramo, tem como objetivo a recuperação dos geralmente altíssimos investimentos envolvidos em seu desenvolvimento.

De outro lado, tem-se a preocupação com o acesso aos inventos em prol de toda a humanidade. A explicação parece simples: a proteção ao meio ambiente constitucionalmente garantida é benéfica para a humanidade como um todo e, portanto, não poderia ficar restrita ao pagamento pelo uso ao inventor ou à espera pela entrada do invento em domínio público. Apesar de garantir a exclusividade na exploração econômica pelos criadores dos inventos verdes patenteados, alguns casos são passíveis de uso ambiente com o direito à exploração econômica exclusiva pelo detentor da patente, não é possível corroborar com o entendimento de que um posicionamento inviabilizaria o outro.

A proteção à exploração exclusiva da patente e as ferramentas previstas na legislação garantem a coexistência entre esses dois interesses, uma vez que a própria natureza do ato de concessão da licença compulsória garante a remuneração do titular da patente e, ao mesmo tempo, garante o acesso ao invento a todos que dele se beneficiarão com a aplicação dessas tecnologias sustentáveis.

Márcio Mello Chaves - é advogado das áreas de Propriedade Intelectual e Direito Ambiental do Almeida Advogados | mmchaves@almeidalaw.com.br.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Conrado Adolpho lança livro "Os 8 Ps do marketing digital" em São Paulo

Na ocasião, o autor realizará palestra e noite de autógrafos.

Por Redação, www.administradores.com.br

Conrado Adolpho
Um dos mais respeitados especialistas brasileiros em estratégias de marketing na internet e em ambientes interativos, o consultor e professor da ESPM Conrado Adolpho lança no dia 5 de agosto, às 19 horas, na FNAC, em São Paulo, o livro "Os 8 Ps do Marketing Digital – O Guia Estratégico de Marketing Digital".

Com 904 páginas, a obra apresenta por meio de mais de 100 cases e centenas de indicações de ferramentas, os pormenores do marketing digital, que atualmente está em fase de consolidação no país.

Segundo Conrado Adolpho, empresas que ainda não se atentaram para a importância de estratégias de negócios em ambiente on-line perderão clientes para outras, até menores, mas que entendem melhor a ordem dos novos tempos.
Na ocasião, o autor realizará palestra e noite de autógrafos.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Apple tem mais dinheiro em caixa do que o Tesouro dos EUA

Empresa de Steve Jobs possui mais dólares em caixa do que a maior potência do planeta, de acordo com um levantamento do jornal Business Insider.e relatórios financeiros.
IDG
Por Cauê Fabiano, Macworld Brasil


Smartphone foi um dos grandes responsáveis pelo
bom resultado financeiro da empresa.
Mais uma boa notícia (dessa vez, muito impressionante) para a companhia de Cupertino. A Apple, que divulgou este mês um montante de vendas de 28,57 bilhões de dólares e rendimentos de 7,31 bilhões de dólares, para o período de três meses encerrado no último dia 25 de junho, possui mais dinheiro "em mãos" do que o próprio governo dos EUA, de acordo com um levantamento do jornal Business Insider. Empresa de Steve Jobs possui mais dólares em caixa do que a maior potência do planeta, de acordo com relatórios financeiros.

Na última declaração feita ontem (28/7) pelo Departamento do Tesouro dos Estados Unidos, o país estava com um balanço de caixa de 73.8 bilhões de dólares, enquanto que a Apple, em seu último relatório financeiro, afirmou ter 76.2 bilhões em caixa e em títulos e valores mobiliários até o fim do mês passado.

O jornal aponta também que a Apple superou a maior potência do mundo porque arrecada muito mais dinheiro do que gasta, o que não acontece com o governo norte-americano. Os grandes responsáveis por essa montanha de dinheiro foram as vendas de iPhone e iPad, que impulsionaram ainda mais os resultados passados da companhia. O smarphone da Apple atingiu a casa dos 20,3 milhões de aparelhos vendidos, enquanto que o tablet chegou a 9,25 milhões de unidades no período, o primeiro a incluir o iPad 2, lançado em março. Além disso, os Macs também foram responsáveis pelo ótimo resultado da empresa no período, com um total de 3,95 milhões de unidades vendidas – aumento de 14% em relação ao ano passado.

Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Estagiários e trainees: como montar um currículo vencedor?

Saber como preencher bem esse documento, com as informações corretas e dispostas da maneira mais efetiva, é fundamental.

Por Redação, www.administradores.com.br

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

As principais empresas do Brasil já estão se movimentando para iniciar seus programas de estágio e trainee, que devem se estender ao longo de todo o segundo semestre. As seleções, normalmente, são divididas em várias etapas e uma das primeiras (juntamente com os testes online) é a análise dos currículos. Por isso, saber como preencher bem esse documento, com as informações corretas e dispostas da maneira mais efetiva, é fundamental.

"Em primeiro lugar, o jovem deve entender que há muitos outros na mesma situação. Portanto, ele deve procurar se diferenciar mesmo sem experiências profissionais formais", explica Marcelo Abrileri, presidente da Curriculum.

Aqui vão os passos básicos na montagem do currículo, sugeridos pelo especialista:

Reunir informações e dados
Reúna dados sobre cursos de formação ou complementares, datas de início/fim, empresas onde trabalhou, cargos, datas de entrada/saída, habilidades em softwares, certificados, dados para contato, viagens ao exterior. Relembre feitos profissionais e resultados alcançados para a companhia e anote. Quem não tem experiências pode anotar sobre atividades acadêmicas ou voluntariado.

Definir objetivos
Defina a área e os cargos em que deseja atuar, pensando nos objetivos de curto prazo, que devem ficar claros no currículo.

Elaborar a descrição das realizações profissionais
Eleja quais realizações identificadas entrarão no seu CV. Crie frases de 15 a 25 palavras para cada uma delas, descrevendo o que você fez, como fez e quais os resultados positivos obtidos para a empresa.

Compor o currículo
O currículo é composto da seguinte maneira:

Cabeçalho: exibe seu nome, dados pessoais (nacionalidade, idade, estado civil) e seus principais dados de contato (endereço, telefones, e-mail).

Objetivo profissional: é recomendado incluir para facilitar a identificação da área profissional à qual o currículo se refere.

Resumo de experiências: é aqui que você vai se diferenciar dos demais candidatos, falando sobre suas principais realizações. O resumo é subdividido em:

a) Experiência global: a primeira frase, que indica tempo de experiência (se houver), área de
atuação predominante na experiência e principais organizações onde trabalhou;

b) Principais realizações: aqui vão as frases que você criou sobre o que já fez e resultados que
obteve. Coloque em grau decrescente de importância.

Formação: informe nome da instituição de ensino, nome do curso e ano de conclusão previsto ou efetivo. Informe ano de trancamento se for o caso. Para informar mais de um curso, coloque-os do mais recente para o mais antigo.

Conhecimentos em informática: inclua softwares, sistemas operacionais e conhecimentos sobre internet, mas coloque apenas o essencial, além de ferramentas importantes para sua área específica, caso saiba trabalhar com elas.

Idiomas: informe os idiomas estrangeiros que conhece, mencionando seu grau efetivo de conhecimento. Não exagere suas aptidões. Afinal, elas podem ser testadas em entrevistas e, é claro, durante o desempenho da função.

Viagens profissionais: aqui se incluem também viagens de intercâmbio. É interessante colocar o país, o motivo da viagem e o ano em que ela aconteceu.

Experiências profissionais: inclua nome da empresa, datas de entrada/saída e os cargos desempenhados. Ordene da experiência mais recente para a mais antiga.

Cursos complementares: inclua nome do curso e da instituição, com ano. Inclua apenas os recentes ou mais importantes para a área que é seu objetivo.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Estudo avalia o que os brasileiros falam sobre economia nas redes sociais

No levantamento, a maior parte das interações foi relacionada ao movimento "Preço Justo" e às taxas de juros.

Por Redação, www.administradores.com.br

Um monitoramento realizado entre 13 e 17 de junho pela Miti Inteligência avaliou como os usuários das redes sociais têm discutido economia. O período foi escolhido justamente por ser posterior à determinação da nova taxa Selic imposta pelo Copom.

"Os usuários estão cada vez mais usando as redes sociais para discutir assuntos relevantes como economia e política. Nos cinco dias de estudo, foram capturadas 10 mil interações sobre as palavras-chave definidas, sendo que 20,4% delas falavam sobre juros", comenta Elizangela Grigoletti, gerente de inteligência e marketing da Miti Inteligência.

Apesar de cerca de 20% das interações capturadas usarem termos mais técnicos, como Copom, Selic, PIB e carga tributária – principalmente, devido à replicação de notícias –, os internautas usaram as redes para discutir questões mais presentes do seu dia a dia.

"Menções a imposto, juros, economia e inflação representaram mais de 50% de todo o material capturado. Mas o termo mais citado (23%) foi 'precojusto', expressão usada para apoiar o movimento criado pelo vlogger Felipe Neto, a fim de reduzir os impostos sobre os produtos importados eletrônicos e de mídia", aponta Elizangela.

Mais de 83% de todas as interações capturadas aconteceram no Facebook e no Twitter (o restante é de blogs, fóruns, Youtube e sites de reclamação). A replicação de notícias foi responsável por mais de um quarto das menções ao tema (25,59%). Outro quarto das interações ficou por conta dos apoiadores do movimento Preço Justo (24,8%).

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

sábado, 30 de julho de 2011

Projeto de lei pode impedir o monitoramento de e-mails pelas empresas

Medida penalizará empresas que monitorarem os e-mails de seus empregados. As correspondências corporativas não serão afetadas.

Infomoney

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

As empresas públicas e privadas poderão ser impedidas de monitorar a correspondência eletrônica (e-mails pessoais) de seus empregados. A medida faz parte do projeto de lei 1429/2011 e prevê penalizações aos infratores.

Para o deputado e autor do projeto, Antônio Roberto (PV/MG), a proposta se faz necessária em virtude dos abusos cometidos pelas companhias, que caracterizam situações de assédio moral. “As empresas e o serviço público invadem indiscriminadamente os e-mails dos empregados, fato considerado uma verdadeira agressão à individualidade da correspondência eletrônica dos trabalhadores”, diz.

Se aprovada, a proposta que tramita na Câmara dos Deputados desde maio deste ano colocará limites nas práticas já adotada pelos empregadores.

Exceção corporativa
A exceção do acompanhamento se dará em âmbito empresarial. Ou seja, apenas serão permitidos o monitoramento de e-mails corporativos pelas organizações que informarem previamente seus empregados de tal prática.

Segundo o advogado trabalhista e sócio do escritório Salusse Marangoni Advogados, Marcel Cordeiro, a proposta formalizará uma situação que já se mostra comum na maioria das empresas. “O monitoramento pode ocorrer, desde que a organização avise o trabalhador da existência de regras sobre o assunto. Isso trará segurança ao empregador e tornará o tópico mais transparente aos próprios empregados”, comenta Cordeiro.

Regras mais claras
O detalhamento de regras mais claras sobre o monitoramento de correspondências pessoais também poderá ser necessário ao projeto antes de ser definida a aplicação de penalizações por dano moral.

Na opinião de Cordeiro, por exemplo, o texto da proposta deveria possibilitar que, antes de se determinar a aplicação de uma punição ao empresário, fosse realizada uma avaliação concreta de cada caso. “Se partirmos da premissa de que os equipamentos utilizados pelos empregados são da empresa e servem como verdadeiras ‘ferramentas de trabalho’, tal generalização poderia causar algumas injustiças. É temerário impor uma penalidade sem saber os reais motivos que levaram o empregador a monitorar um determinado funcionário”, pondera Cordeiro.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Walmart é a bola da vez

Quando houve a possibilidade da fusão entre o Pão de Açúcar e Carrefour, a briga pelo primeiro lugar ficaria difícil para o Walmart.

Por Reginaldo Gonçalves , www.administradores.com.br

A especulação quanto às metas de expansão no Brasil da Rede Walmart poderá converter-se em ação efetiva nos próximos dias. É visível o interesse de investimento do grupo na abertura de 80 novas lojas no País. Com faturamento de R$ 22,3 bilhões, atualmente é a terceira empresa em faturamento no ranking do setor, liderado pelo Pão de Açúcar, na faixa de R$ 36,1 bilhões, com o Carrefour no segundo lugar, com R$ 29 bilhões. Este, contudo, pela colocação dos seus dirigentes franceses, não teria interesse em sua manutenção no Brasil, dados os fatos desencadeados com o escândalo contábil em torno de R$ 1,2 bilhão.

Quando houve a possibilidade da fusão entre o Pão de Açúcar e Carrefour, a briga pelo primeiro lugar ficaria difícil para o Walmart. Para que houvesse a possibilidade de atingir o primeiro lugar ou ficar próximo, teria de comprar uma grande quantidade de varejistas menores – o que inviabilizaria a operação, porque o quarto do ranking, G. Barbosa, atualmente conta com um faturamentoaproximado de R$ 3,5 bilhões, bem distante do Walmart.

Em virtude da inviabilização da operação Pão de Açúcar/ Carrefour, abre-se oportunidade para que o Walmart possa atingir o primeiro lugar do ranking no varejo nacional. Até que ponto isso pode gerar maior lucratividade e mais dividendos para seus acionistas? As discussões farão parte dos próximos capítulos dessa briga dos varejistas, mas não podemos esquecer que grupos menores também têm interesse em expandir e podem assumir algumas unidades. O chileno Cencosud possui 250 estabelecimentos e tem fome de crescer. Pretende buscar R$ 2 bilhões de recursos para investir na expansão. Atualmente, estápresente nas regiões Sul e Nordeste.

Reginaldo Gonçalves é coordenador do curso de Ciências Contábeis da Faculdade Santa Marcelina.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Internet agiliza abertura de empresas no Rio

A partir da próxima segunda-feira (1º), capital do estado passa a fazer parte do Registro Integrado, que permite formalização via web.

Agência Sebrae

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

Abrir empresa na cidade do Rio de Janeiro vai ficar mais fácil. A Junta Comercial do Estado (Jucerja) e a Prefeitura do Rio assinaram convênio para a implantação do Registro Integrado (Regin) no município, novo sistema que simplifica o processo de abertura de empresas no estado pela internet. O sistema começa a funcionar na capital na próxima segunda-feira (1º).

A expectativa é que o cidadão possa abrir sua empresa em poucos dias, se toda a documentação estiver correta, já que diversos órgãos estarão interligados, como a Jucerja, Receita Federal, Secretaria estadual de Fazenda e prefeituras.

Com relação ao município do Rio de Janeiro, há duas novidades em trâmite. A primeira é que o processo começa no site da prefeitura, por meio do Alvará Já, com o fornecimento da licença para o funcionamento da empresa. Depois, o empreendedor é direcionado ao site da Jucerja e continua o processo pelo Regin. A outra novidade é a entrada do Registro Civil de Pessoas Jurídicas (RCPJ) da cidade do Rio de Janeiro no Regin, também a partir de 1º de agosto, permitindo agilidade e desburocratização no processo de legalização de empresas prestadoras de serviços.

Expectativa
A implantação do Regin vem sendo progressiva no estado. O sistema já existe, em pleno funcionamento, em 22 municípios. Já foram abertas 576 empresas pela internet desde o início do mês, quando passou a ser obrigatório o uso do Regin. A expectativa é de o número de novos negócios dar um salto a partir da entrada da capital no sistema, com a proximidade de grandes eventos na cidade do Rio de Janeiro.

No ano passado, o Sebrae no Rio de Janeiro assinou convênio com o Governo do Estado, por meio da Jucerja, para estimular a adesão das prefeituras ao sistema. Este mesmo sistema já existe em Santa Catarina e no Espírito Santo. No Rio, o Sebrae está inserindo no Regin ferramentas de apoio de gestão àqueles que abrem um negócio.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

39% dos smartphones norte-americanos operam com o Android

Crescimento do Android deve-se principalmente, segundo a Nielsen, às boas vendas dos celulares da HTC, Samsung e Motorola.

Por Redação Administradores, www.administradores.com.br

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

Nos Estados Unidos, o sistema operacional para smartphones android está presente em 39% dos aparelhos e detém a maior fatia do mercado. O iOS, da Apple, e o Blackberry, da Research in Motion, contam com 28% e 20%, respectivamente. Estes últimos estão atrelados aos seus respectivos fabricantes, enquanto o Android funciona em aparelhos de diferentes marcas. Os dados foram divulgados pela consultoria Nielsen.

Entre os meses de fevereiro e maio, o Android passou a estar presente em mais 3% dos aparelhos vendidos nos Estados Unidos, enquanto o iOS (que roda apenas no iPhone, iPad e iPod Touch) cresceu 2%. Já o Blackberry teve sua participação reduzida em 3%.

O crescimento do Android deve-se principalmente, segundo a Nielsen, às boas vendas dos celulares da HTC, Samsung e Motorola, que utilizam a plataforma operacional do Google.

Já o recém-chegado Windows Phone 7, substituto do Symbian, aparece com 9% do market share. O sistema operacional da Nokia, descontinuado pela empresa, vem empatado com o Palm webOS, cada um com 2%.

Com informações do G1.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Concurso elege as startups mais criativas

A Media Factory vai escolher a resposta elaborada com os melhores argumentos.

Adnews

A agência de marketing digital Media Factory realiza uma ação voltada para quem acompanha todas as novidades do mundo online e as novas tendências em redes sociais e marketing digital.

Para participar e concorrer a prêmios, basta acessar a página da Media Factory (Marketing Digital) no Facebook, clicar no link "Concurso Cultural – Startups" e responder a pergunta: "Das startups apresentadas em nosso blog, qual você acha a mais criativa e por quê?". As respostas devem ser postadas na própria tab.

A Media Factory vai escolher a resposta elaborada com os melhores argumentos. O autor será premiado com uma Mochila da Media Factory equipada com o livro "A Bíblia do Marketing Digital", de Cláudio Torres, e um convite para participar de um dos eventos do Digitalks, que acontecem em Brasília (01/09), Porto Alegre (20/10), São Paulo (24/12), Salvador (15/09) e Teresina (06/10).

As startups participantes do concurso são:
Jumo
Qwiki
Memolane
Superego.me
Quora
Diaspora

O concurso vai até dia 10/08/11.



Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Consumidores emergentes são os que mais pretendem reformar imóveis, diz pesquisa

Estudo do Data Popular indica que 49,8% das famílias mais pobres se preocupam em realizar reparos em suas moradias.

Por Leticia Alasse, Mundo do Marketing

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

Quase 20 milhões de consumidores das classes C, D e E pretendem reformar as suas casas ainda em 2011. É o que diz uma pesquisa realizada pelo Data Popular junto com o Clube de Reforma, em cinco mil domicílios de todo o Brasil. O estudo indica que 49,8% das famílias das camadas D e E se preocupam em realizar reparos na construção, ao passo que apenas 35,4% das A e B possuem a mesma consciência.

O levantamento também demonstra que Recife (56%) e Salvador (49%) são os estados com maiores índices na pretensão de reforma nos próximos 12 meses. Os dados permitem ainda afirmar que 62,5% dos consumidores dos grupos D e E realizarão obras na residência, contra somente 22% dos grupos A e B.

Os gastos com compra e reforma de imóveis passaram de R$ 71,9 bilhões, em 2003, para R$ 117 bilhões em 2010, em todo o país. O aumento mais visível foi nas melhorias realizadas pelas classes mais pobres, que em sete anos subiu 100%, enquanto que o crescimento da classe C foi de 40% e da A e B, 0,5%.

O Norte (36,5%) e o Nordeste (31,8%) são as regiões onde há maior participação nos gastos totais com reparos em habitação. Por outro lado, a região Sul se destaca com o maior percentual de compra (70,5%) e menor em restauração de moradias (29,5%). Do total dos entrevistados, 79% acreditam que o seu lar é o lugar onde se sentem melhores, já 69% afirmam que estão sempre em busca de novidades para incrementar o imóvel.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Samsung vende mais de 5 milhões de Galaxy S2

Modelo ainda não está disponível nos EUA.

AdNews

A Samsung anunciou,  na quarta-feira (27),  a comercialização de mais de cinco milhões de unidades do modelo smartphone Galaxy S2. O aparelho foi lançado há três meses e colocado à venda na Coreia do Sul em 29 de abril e em maio no Japão. Posteriormente, chegou a vários países europeus.

Apenas esta semana o Galaxy desembarcou na China, mas ainda não está disponível nos EUA, cujo lançamento é previsto para agosto. Só na Coreia do Sul, foi comercializado mais de 1 milhão de aparelhos e a expectativa é que as vendas atinjam 10 milhões.



Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

As oito verdades sobre o comportamento da classe C na internet

Levantamento da WMcCan foi realizado com 3.050 entrevistados de cinco países da América Latina.

Por Sylvia de Sá, Mundo do Marketing

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

Os consumidores emergentes não têm hábitos de navegação na internet diferentes da classe média tradicional. Hoje, o nível de maturidade entre os dois segmentos de mercado é bastante parecido, sendo as atividades mais frequentes a comunicação, o lazer, a interação e o compartilhamento. É o que indica uma pesquisa da WMcCann, que traçou o perfil dos internautas da classe C na América Latina e definiu oito verdades sobre as mais de 80 milhões de pessoas emergentes que acessam a web na região.

A primeira delas mostra que "A internet está tornando o sonho de Che Guevara real". Segundo o levantamento, o aumento do uso do meio digital promove igualdade social de forma mais rápida do que o aumento da renda e da qualidade da educação. "Ajuda oficial – nem sempre necessária na vida, tampouco na web": Esta é a segunda verdade classificada pela pesquisa e indica que o consumidor emergente vem desenvolvendo um alto nível de autonomia e independência no mundo digital.

Em terceiro lugar, aparece a afirmação "Não espere o óbvio. Esta é a terra do 'jogo bonito'", que aponta para uma mudança no uso original das plataformas online. Quando perguntados se as redes sociais são apenas para relacionamentos, por exemplo, os entrevistados informaram que também as utilizam para negócios, carreira e família. "Vive-se melhor, mas ainda há muito pelo que se rezar" aparece como a verdade 4 e refere-se ao espaço que pode ser preenchido pelas marcas que desejam construir vínculos mais fortes com este consumidor.

A quinta verdade, "Melhores pais, melhores filhos", mostra que para os emergentes a internet é um lugar para trocar preocupações e aprendizados. De acordo com a verdade 6 ("Internet e sedentarismo não combinam. Jura? Juro!"), os internautas da classe C também veem o digital como um aliado para a adoção de hábitos mais saudáveis, enquanto a afirmação de número sete diz que "Marcas são musas. Pessoas são juízas" e chama a atenção para o fato de que as marcas inspiram e as pessoas comuns e seu endosso são as melhores fonte para validação.

A oitava e última verdade traçada pela WMcCann aponta para um antagonismo: "Comprar bem é a bela, gerenciar é a fera", e sugere que o "brilho" de uma compra bem feita pode deixar os consumidores emergentes "cegos" diante das outras possibilidades da internet para ajudar em suas finanças. Gerenciar o dinheiro, por exemplo, assustaria e afastaria as pessoas. O Levantamento provém de 3.050 entrevistas em profundidade, realizadas em 26 cidades de cinco países (Brasil, Chile, Colômbia, Costa Rica e México), entre janeiro e fevereiro de 2011.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Designer de artigos de luxo apresenta iPad feito de diamantes e ossos de dinossauro

Gadget de luxo custa a bagatela de US$ 8 milhões.

Por Redação Administradores, www.administradores.com.br

Sempre que novos gadgets são lançados, a preços usualmente altos, sempre aparecem versões excêntricas feitos de ouro e incrustados de pedras preciosas, valendo alguns milhões a mais para satisfazer o ego de ricaços exóticos. Mas esse iPad tem um "algo a mais".

Criado pelo designer Stuart Hughes, conhecido por modificar aparelhos da Apple com algumas pedras preciosas, esse iPad de US$ 8 milhões conta com partes de, diz o criador, ossos de Tiranossauro Rex moldados em uma Ammolite, pedra preciosa rara das montanhas da América do Norte.

Será que vale o preço?

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Analfabetismo financeiro e juros elevados elevam inadimplência, afirma consultor

Desinformação sobre finanças leva muitas pessoas a terem seus nomes negativados em instituições de análise de crédito.

Por Redação, www.administradores.com.br

A inadimplência no Brasil, que já atinge 9% dos empréstimos segundo estimativa do Serasa, pode ser também resultado do analfabetismo financeiro do brasileiro. A observação é do consultor em finanças pessoais Marcelo Maron, que também é professor da UniEuro de Brasília (DF).

Segundo Maron, nenhuma escola ensina finanças pessoais aos alunos, sejam eles estudantes do ensino fundamental, médio ou até mesmo universitário. "O brasileiro sofre com endividamentos porque, na maioria dos casos, desconhece os juros que lhe são cobrados. Pouca gente sabe que ao comprar uma televisão financiada, por exemplo, podemos terminar pagando três aparelhos ao invés de um. Esses juros elevados, associados ao analfabetismo financeiro dos consumidores, levam ao crescimento da inadimplência", explica o consultor.

"É como se partíssemos do princípio de que todas as pessoas conhecem o assunto, e portanto ninguém precisasse ser ensinado. Como resultado disso vemos muitos jovens, que acabam de entrar na vida profissional, já endividados, precisando inclusive trancar matrículas em faculdades em função da falta de dinheiro", alerta.

Para Maron, a desinformação sobre finanças leva muitas pessoas a terem seus nomes negativados em instituições de análise de crédito, o que as impede de conseguir melhores opções de crédito para sanear dívidas. "Todo crédito fácil como cartão de crédito ou cheque especial, que é conseguido sem muita burocracia, é um crédito caro. As pessoas endividadas nesse tipo de crédito precisariam recorrer a créditos mais baratos, que exigem análise mais criteriosa, mas elas simplesmente não conseguem estas opções de financiamento quando têm seus nomes negativados em órgãos de análise de crédito, o que leva muitos a se conformar e abandonar as tentativas de solução negociada do problema, o que é a pior solução", assinala Maron.

De acordo com o consultor, pessoas que devem em cartões de crédito algo próximo a R$ 5.000,00 podem ter a dívida transformada rapidamente em algo como R$ 70.000,00, e depois de algum tempo, com nome negativado, recebem ofertas para liquidação desse débito gigantesco por meio de uma pagamento parcelado de R$ 8.000,00 ou R$ 9.000,00.

"O que as pessoas não percebem é que já estão pagando o dobro do que deviam, pelo simples fato de que a sobreposição de torna a dívida impagável. E isto muitas vezes vem disfarçado de um desconto enorme em cima de uma dívida irreal", alerta.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Claro anuncia maior market share em dois anos

Resultado deixa a Claro empatada com a TIM, que também conta com 25,55% de participação.

Por Redação Administradores, www.administradores.com.br

A empresa de telefonia Claro anunciou na manhã desta quinta-feira (28) que conquistou a maior participação no mercado de telefonia móvel e internet nos últimos dois anos, com 25,55%. O número é relativo ao segundo trimestre de 2011.

O resultado deixa a empresa empatada com a TIM, que também conta com 25,55% de participação, e ambas estão atrás apenas da Vivo, que detém 29,47% da fatia. A Oi é a menor entre as maiores, com 19,10% do market share das operadoras de telefonia. Outras empresas, somadas, não chegam a 1% de participação.

No total, o Brasil tem 217 milhões de celulares, segundo números da Anatel. Em números absolutos, a Claro e a TIM contam, cada uma, com 55,5 milhões de clientes, enquanto a Vivo atende a 64 milhões e a Oi tem 41,4 milhões de celulares com seus planos.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Petrobras: prazo de inscrição em concurso termina domingo

Do total de 590 vagas oferecidas, distribuídas por todo o país, 442 são para cargos de nível médio.

Por Redação Administradores, www.administradores.com.br

A Petrobras anunciou nesta sexta-feira (29) que as inscrições para o processo seletivo público visando o provimento de cargos na empresa termina neste domingo (31), às 23h59min. As inscrições podem ser feitas no site da Cesgranrio ou no site da Petrobras.Confira aqui o edital do concurso.

Do total de 590 vagas oferecidas, distribuídas por todo o país, 442 são para cargos de nível médio, como técnico de contabilidade, técnico de segurança e técnico de manutenção, e 148 para cargos de nível superior, entre eles engenheiro de petróleo, engenheiro de produção, geólogo e químico.

As provas objetivas serão realizadas no dia 28 de agosto de 2011. Para os cargos de nível médio, o valor da inscrição é R$30,00, enquanto para os cargos de nível superior é R$45,00. A inscrição via internet só será válida após a confirmação do pagamento bancário.

Os salários oferecidos pela empresa variam entre R$ 1.801,37 e R$ 2.615,86, para cargos de nível médio, e entre R$ 5.770,31 e R$ 6.217,19, para cargos de nível superior. Além do salário, são oferecidos benefícios empregatícios como previdência complementar, plano de saúde e benefícios educacionais para dependentes.

O edital de abertura do concurso foi divulgado no dia 1 de julho.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Ondas de celular diminuem população de abelhas

 Mais de 83 experimentos detectaram que as ondas não apenas confundem as abelhas, mas podem levá-las à morte.

Por Mariana Montenegro

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

O futuro das abelhas está ameaçado e não é por conta de algum desequilíbrio na cadeia alimentar. Os vilões, segundo um estudo conduzido em Lausanne, Suíça, são os sinais de telefone celular que aumentam de intensidade durante a operação dos aparelhos. Mais de 83 experimentos detectaram que as ondas não apenas confundem as abelhas, mas podem levá-las à morte, segundo nota publicada no Inhabitat.
Liderado pelo pesquisador Daniel Favre, o alarmante estudo descobriu que as abelhas reagem significantemente a telefones celulares que foram colocados pertos das colméias no modo de chamada. Nessa situação, foi constatado que o zumbido das abelhas aumenta em dez vezes quando o aparelho está tocando ou realizando uma ligação – isto é, quando sinais estão sendo transmitidos – voltando ao normal com o fim da atividade das ondas. O ruído das chamadas atua como um aviso instintivo para que elas deixem as colméias, mas a freqüência as confunde, causando vôo desorientado.

O impacto já foi diagnosticado em larga escala: populações de abelhas caíram pela metade nos últimos trinta anos, tanto nos Estados Unidos como no Reino Unido – o que coincide com o período de popularização dos celulares como um acessório individual. Estudos anteriores a 2008 já haviam dito que os sinais de telefone repeliam os insetos.

Abelhas são parte integral e necessária dos sistemas agrícolas e ecológicos, já que produzem mel e especialmente, polinizam novas plantas. Ainda é incerto como o uso continuado desses aparelhos irá contribuir para o total declínio da espécie, e seu respectivo impacto no meio ambiente. Mesmo assim, dificilmente as populações diminuirão o uso dos aparelhos voluntariamente, em função da descoberta.

Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

O que você faz para se motivar no trabalho?

A chave para motivação bem sucedida é o envolvimento individual. Isso significa unir as metas pessoais dos funcionários às da empresa.

Por Daniela do Lago , www.administradores.com.br

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

Bilhões são gastos com motivação todos os anos. São brindes, placas, troféus, prêmios e, naturalmente, bônus em dinheiro para os melhores da empresa. Mas, o que é de fato motivação?

É ter um "motivo para ação", é pessoal, intrínseco e intransferível. Este motivo está dentro da sua cabeça e do seu coração, portanto seus motivos são abstratos, só têm significado para você e esta é a razão pela qual é algo tão especial.

O grande problema é definir os motivos verdadeiros, o que realmente você quer, o que te move para ação, para assim dar significado ao seu dia a dia.

Ela está sempre presente. Não existem pessoas desmotivadas. A grande questão é: como obter mais motivação nas áreas em que desejamos? Como nos tornarmos – e os que estão próximos a nós – mais estimulados a buscar realizações profissionais?

Como então conseguir mais motivação no trabalho? A chave para motivação bem sucedida é o envolvimento individual. Isso significa unir as metas pessoais dos funcionários às da empresa. Para vencer no trabalho, todos nós devemos criar uma metodologia em que as pessoas e o negócio estejam intimamente ligados para crescer juntos, com metas comuns ou compatíveis.

Para isso, será necessário fazermos 2 perguntas:

1 – O que há aqui para mim?
2 – Por que devo fazer isso?

Quando as pessoas perguntam: "Por que devo fazer isso?" ou "O que há aqui para mim?", estão tentando se motivar. Estão querendo dizer "Chefe, preciso de ajuda", "Deixe-me entender melhor o propósito deste trabalho", "Quero ser motivado!"


Será que seu chefe está aberto para responder estas perguntas?

Agora não vale colocar a culpa somente no seu chefe (lembre-se que a motivação vem de dentro). Confesso que conheço alguns profissionais que estão desmotivados no trabalho, passam o dia reclamando do trabalho e dos problemas mas quando são questionados, nem sequer sabem o que realmente querem e esperam do trabalho.

E você, sabe o que realmente quer do seu trabalho?

Portanto, pare agora, pense e avalie até descobrir a essência de seus motivos. Se você já descobriu o seu motivo verdadeiro então agora dedique a sua vida para conquistá-lo e só assim poderá dizer que é uma pessoa motivada!

Daniela do Lago - com mais de 12 anos de atuação na área de recursos humanos, é mestre em administração com foco em Comportamento Organizacional pela Universidade Municipal de São Caetano do Sul. Tem MBA em Marketing pela FGV e Bacharel em Administração pela Fundação Santo André. É palestrante e autora de diversos artigos acadêmicos publicados em congressos e revistas. Atua como Coach Executivo e Life Coach, com formação internacional em nível sênior pelo Integrated Coaching Institute (ICI). É professora dos cursos de MBA da Fundação Getúlio Vargas.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

BC eleva a projeção de reajuste de tarifa de eletricidade e reduz a de telefonia fixa

A estimativa para o reajuste da tarifa de telefonia fixa, em 2011, caiu para 0,9%, contra os 2,9% previstos anteriormente.

Por Kelly Oliveira, Agência Brasil

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

A projeção do Banco Central (BC) para o reajuste da tarifa de eletricidade, este ano, subiu para 4,1%, ante os 2,8% considerados em junho, segundo a ata da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom) divulgada hoje (28).

A estimativa para o reajuste da tarifa de telefonia fixa, em 2011, caiu para 0,9%, contra os 2,9% previstos anteriormente.

A projeção de reajuste no preço da gasolina para o acumulado de 2011 permaneceu em 4%. Também foi mantida a expectativa de que não haverá aumento de preços do botijão de gás este ano.

Para o conjunto de preços administrados por contrato e monitorados, a estimativa referente a 2011 foi elevada para 4,9%, ante os 4,6% considerados na reunião de junho. Esse conjunto de preços, de acordo com os dados publicados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), correspondeu a 29,08% do total do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de junho.

A projeção de reajustes para os preços administrados em 2012 subiu para 4,4%, ante os 4,3% previstos anteriormente.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Sebrae vai capacitar artesãos com foco em 2014

Instituição também vai apoiar a instalação de "showrooms" exclusivos durante o evento esportivo.

Por Mariana Flores, Agência Sebrae

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

Os artesãos brasileiros também vão abocanhar uma parcela dos R$ 180 bilhões que devem ser injetados na economia brasileira com a Copa do Mundo de 2014. Com o objetivo de preparar esses profissionais para as demandas extras que os turistas vão gerar durante o evento esportivo, o Sebrae vai investir em capacitação e na criação de espaços exclusivos para a venda de produtos durante os dias da competição. Em cada uma das 12 cidades-sede, haverá um showroom em um local estratégico, próximo aos principais pontos turísticos.

As unidades estaduais da instituição têm até o fim de setembro para enviar ao Sebrae Nacional as propostas de produtos que devem ser trabalhados e os locais de instalação do showroom. Se aprovadas, as propostas receberão até 50% dos valores necessários para custear a implantação dos espaços de exibição. A ideia é construir locais sofisticados que entrem no circuito de visitações dos turistas.

"O desafio é reposicionar o artesanato e dar uma representação da cultura brasileira em todos os estados. A ideia é que a atividade deixe de ser vista como uma ocupação para quem tem baixa escolaridade e não encontra oportunidade no mercado", afirma o gerente de Atendimento Coletivo – Comércio do Sebrae, Juarez de Paula.

Após aprovadas as propostas, os estados terão de selecionar, trabalhar a imagem e desenvolver os produtos para que tenham características locais, além de criar coleções com um design adequado. O objetivo é que as peças tenham alto valor agregado - estético, cultural e mercadológico - como peças de decoração, por exemplo.

"Queremos ofertar produtos com identidade regional, com aspectos da cidade-sede e de sua região. A meta é utilizar a matéria-prima que se encontra em abundância em cada município e desenvolver projetos com alto valor agregado, e não apenas souvenirs", afirma o responsável pelo projeto de artesanato no Sebrae Nacional, Maurício Tedeschi. A matéria-prima utilizada vai de capim-dourado a fibras naturais, lã, cerâmica, entre outros.

A escolha dos artesãos e dos produtos que serão trabalhados será feita por cada unidade estadual entre os profissionais da cidade. A seleção também será feita entre os vencedores da 3ª edição do Prêmio Sebrae Top 100 de Artesanato, premiação que ocorre de três em três anos com o intuito de selecionar artesãos que oferecem produtos diferenciados e um avançado sistema de gestão do negócio. As inscrições devem ser abertas até o início de 2012, e a premiação será no fim do mesmo ano.

Sebrae 2014
O artesanato é uma das áreas que fazem parte do setor conhecido como produção associada ao turismo. Pesquisa encomendada pelo Sebrae à Fundação Getúlio Vargas (FGV) mostra que a Copa 2014 deve gerar 117 oportunidades de negócios para micro e pequenas empresas que trabalham com artesanato, atividades artísticas, economia criativa, manifestações culturas, entre outras atividades. Desde julho deste ano, o presidente do Sebrae Nacional, Luiz Barretto, está participando de uma série de encontros de negócios para divulgar o estudo para empresários das 12 cidades-sede. O evento já foi realizado no Rio de Janeiro, Brasília, Cuiabá, Natal e Recife. Nas próximas semanas, será a vez de Belo Horizonte, Salvador, Curitiba, Fortaleza, Porto Alegre, Manaus e São Paulo. Ao todo, a instituição está investindo R$ 80 milhões no programa.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Toyota é eleita a marca "mais verde"

Na contramão, marcas como McDonalds (45), GE (24) e Coca-Cola (27) obtiveram maior pontuação no critério percepção.

Adnews

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

A montadora Toyota foi eleita a marca mais verde do mundo em eleição feita pela consultoria Interbrand. O pódio é completado pela 3M e pela Siemens, reconhecidas pelos consumidores por demonstrarem preocupação com assuntos relacionados ao meio ambiente.

O estudo aponta "grande lacunas" entre as performances das marcas e a percepção do público em geral. Empresas como L'Oreal, (15), Nokia (22) e HSBC (48) atingiram níveis significativamente maiores em performance, o que atesta que as marcas não se divulgam devidamente nesse quesito. A comunicação com o consumidor não é tão eficaz assim, de acordo com a Interbrand.

Na contramão, marcas como McDonalds (45), GE (24) e Coca-Cola (27) obtiveram maior pontuação no critério percepção. Sinal de que sabem aproveitar melhor sua imagem. "O resultado sugere que estas marcas aproveitam o impacto positivo de serem bem conhecidas, poderosas e traduzem isso no olhar positivo sobre a preocupação ambiental".

A Interbrand ouviu 10 mil consumidores em grandes mercados, como EUA, Reino Unido, Alemanha, Índia, Japão e China.

Com informações do Marketing Week.



Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Empresas brasileiras reduzem otimismo em relação ao emprego

Segundo pesquisa, o indicador de otimismo passou de 32% no trimestre anterior para 26% no segundo trimestre.

Infomoney

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

O otimismo das empresas brasileiras em relação à expectativa de emprego para o segundo trimestre caiu drasticamente. Segundo o levantamento realizado pela Grant Thornton, o País perdeu 16 posições no ranking.

De acordo com a pesquisa, o indicador passou de 32% no primeiro trimestre para 26% no segundo trimestre. O índice tem apresentado queda desde o final do ano passado, já que, no quarto trimestre de 2010, o percentual era de 55%.

“A crise financeira internacional, aliada à volatilidade do câmbio, está mexendo com a confiança dos empresários e influenciando na queda de otimismo para as expectativas de emprego nas empresas privadas brasileiras. A baixa do dólar em relação ao real atrai muitas importações e torna difícil paras empresas nacionais competirem”, afirma o responsável pelo estudo na América Latina, Javier Martinez.

Países mais otimistas
Na análise entre os países mais otimistas, destacam-se Índia (76%), Turquia (60%) e Suíça (56%). Já os mais pessimistas são a Holanda (-24%), Grécia (-20%) e Espanha (-19%).

De acordo com Martinez, há muita incerteza ainda com o futuro da economia de alguns países da Zona do Euro. “Os governos e organizações mundiais como o FMI [Fundo Monetário Internacional] precisam demonstrar que serão capazes de guiar a economia e tomar as decisões que passem credibilidade. Somente assim os empresários poderão elevar a confiança de que não ocorrerá uma estagnação”.

Em relação às regiões, os dados indicam que a América do Norte é a maior empregadora, com 46%, seguida dos países da Ásia-Pacifico, excluindo o Japão, com 43%, e países do Bric (Brasil, China, Rússia e Índia), com 39%.

Na contramão, as regiões que apresentam o menor percentual de empresários contratando são o grupo dos países europeus com maiores problemas econômicos: Portugal, Itália, Grécia e Espanha (-15%), a Zona do Euro e União Europeia (ambas com 13%) e América Latina (31%).

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Organizações lançam campanha "Fim aos Paraísos Fiscais"

Depois que o dinheiro sai dos paraísos a legalidade não é mais questionada.

Por Redação, www.administradores.com.br

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

Mais de 50 organizações de todo o mundo lançaram nesta semana a campanha "Fim aos Paraísos Fiscais". O objetivo é exigir que os líderes do G20 adotem medidas para requerer que empresas publiquem o lucro verdadeiro que obtêm, principalmente em países em desenvolvimento, e que paguem os impostos devidos, deixando de usar os artifícios que ajudem na sonegação. Parte desses artifícios são justamente o envio do lucro não declarado para paraísos fiscais. Depois que esse dinheiro sai dos paraísos a legalidade não é mais questionada. O Instituto de Estudos Socioeconômicos (Inesc) é o responsável pelo movimento no Brasil.

Pesquisa do "Global Financial Integrity", baseada em Washington-DC, e uma das integrantes da campanha, afirma que "existe uma relação forte entre a sonegação fiscal no mundo e os depósitos nos offshore e paraísos fiscais". Nestes últimos, não há nenhuma transparência ou troca de informações, enquanto que nos offshore a regulação é baixa ou moderada.

"Nem todo o dinheiro depositado nos paraísos fiscais tem origem ilícita e nem todo o dinheiro sonegado vai para os paraísos fiscais. Justamente por não haver troca de informação entre parte dos países a respeito dos depósitos em contas bancárias não existe um número exato de quanto do dinheiro sonegado no Brasil vai para os paraísos fiscais", afirma Lucídio Bicalho, assessor político do Inesc.

Porém, o fluxo financeiro entre o Brasil e os paraísos fiscais é grande. Segundo dados do Banco Central do Brasil o investimento brasileiro direto no exterior divididos em participação em capital e empréstimos intercompanhias em 2007, 2008 e 2009 foi,respectivamente, de US$190,2 bilhões, US$ 204,0 bilhões e US$ 214,0 bilhões.

Os paraísos fiscais estão entre os destinos preferenciais dos investimentos brasileiros diretos na forma de participação em capital. Só em 2009, foram enviados US$ 18,3 bilhões para as Ilhas Cayman, US$ 13,3 bilhões para as Ilhas Virgens Britânicas, US$ 10,2 bilhões para as Bahamas e US$ 4,3 bilhões para Luxemburgo.

Com relação aos empréstimos intercompanhias que partiram do Brasil, as Ilhas Cayman aparecem no topo entre os destinos. De 2007 a 2009, elas receberam 88% do total desse tipo de investimento (28 vezes o que seguiu para os EUA).

As informações são da assessoria do Inesc
Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Marketing: saiba quais as marcas mais associadas ao esporte no Brasil

Os entrevistados também apontaram quais marcas mais se associam à Copa do Mundo de 2014, que acontecerá no Brasil.

Adnews

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

Um estudo realizado pela empresa GfK analisou as marcas que os brasileiros mais associam ao esporte no Brasil. Levaram o prêmio a Nike (32%), Adidas (20%), Olympikus (10%), Banco do Brasil (8%) e Topper (5%).

Os entrevistados também apontaram quais marcas mais se associam à Copa do Mundo de 2014, que acontecerá no Brasil.

Quase metade dos brasileiros entrevistados (48%) ainda não consegue associar nenhuma marca ao evento. As três primeiras posições são as mesmas do critério anterior, sendo que a novidade é a Coca-Cola em quarto lugar, com 6%.

O estudo procurou identificar, também, marcas ligadas às Olimpíadas de 2016, que acontecerão no Rio de Janeiro. A associação é ainda mais baixa neste caso. Cerca de 59% ainda não consegue relacionar nenhuma. Neste qusito, as que mais se destacam são novamente Nike, Adidas e Olympikus.



Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Geração Y: desafio para o RH e pequenos empresários

Lidar com este público é em certos momentos, trabalhar com quebras de paradigmas e sair da zona de conforto. São profissionais que não trabalham diretamente ligados aos recursos financeiros que podem ser obtidos com o trabalho, mas, sim, vinculados ao desafio do "eu posso".

Por Jeferson Melo, www.administradores.com.br

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

Entender e compreender em que tempos estamos posicionados faz com que reativemos os pensamentos de grandes filósofos que sempre questionaram: o que é preciso para criar? Saber? Conhecer? Compreender o que realmente é problema? Ou simplesmente deixar a mente vagar?

Sem dúvida há algo além do trabalho no espírito criativo, principalmente na geração Y, que pode, e deve, inclusive, se dar ao luxo de praticar aquilo que hoje se chama "ócio criativo", para que as idéias venham. O autor do termo, Domenico De Masi, o definiu assim: "Quando trabalho, estudo e jogo coincidem, estamos diante daquela síntese exaltante que eu chamo de ócio criativo". Em outras palavras e com seu estilo inconfundível, Plínio Marcos traduziu: "Coçar o saco é parte fundamental do trabalho do artista." E o filósofo Alexander Koyré, com um argumento definitivo: "Não é do trabalho que nasce a civilização: ela nasce do tempo livre e do jogo".

Com esta visão, temos, o exemplo da Microsoft, que faz com que seus funcionários de criação tenham todo o tempo livre e assim possam criar. Outras experiências em empresas de sucesso, como Google, Facebook e Linkedin fazem parte deste ideário de tempo livre versus criação.

As áreas de RH de empresas com essa visão têm a missão de alicerçar e entrecruzar trabalho e tempo livre para criação, gerando resultados. Parece simples, mas não é.

Uma inovação não tem preço: as empresas que já se posicionaram tendo esta visão como base já colheram grandes frutos e lucros. A geração Y é também responsável por esses resultados. São famosas as frases "ação e reação", "dar para receber", que movem a geração Y.

Lidar com este público é em certos momentos, trabalhar com quebras de paradigmas e sair da zona de conforto. São profissionais que não trabalham diretamente ligados aos recursos financeiros que podem ser obtidos com o trabalho, mas, sim, vinculados ao desafio do "eu posso". Com isso, reafirmamos, a geração Y é a geração da inovação. Crie os desafios e terá grandes profissionais Y ao seu lado.

Contudo, nem sempre há flores. Os pequenos empresários muitas vezes não tem tempo, nem dinheiro, para apostar em inovação. Assim, acabam encontrando e optando por profissionais da geração anterior, os profissionais da geração X. Estes se diferem da geração y, por serem um pouco mais conservadores e terem o "pé no chão" quando o assunto é estabilidade pessoal e familiar.

O ponto crucial nesta história é saber qual o limite entre criatividade e lazer e como o tempo e ócio criativos podem ser aliados ou não desta nova geração.

Para as empresas, essa pseudoindependência deve ser administrada de forma que gere resultados concisos, ou seja, apesar de serem livres no seu dia a dia, os profissionais Y devem cumprir prazos e metas da Companhia, trazendo resultados que possam ser avaliados.

É de conhecimento do mercado que um profissional da geração Y não hesita em mudar de empregador. O executivo Y vive o momento e não se comporta como os profissionais da geração anterior que ficavam anos e anos na mesma empresa, preocupados com o futuro.

Por conta desse modo de conduzir a carreira muitas Companhias confundem o que realmente estes profissionais querem e criam regras de bônus e incentivos mirabolantes.

Contar com profissionais da geração Y e administrá-los é um desafio para o gestor de RH. Na maioria das vezes, prescinde um desapego de métodos conservadores de motivação da equipe. Faz-se necessário métodos criativos e, muitas vezes, inéditos, para criar um senso de pertencimento aliado à resultados perenes.

A geração Y solicita dos gestores novos olhares e novas perspectivas do como, quando, onde e por que se desenvolve determinada função dentro de uma organização. Lidar com este "diferente" dentro de uma instituição faz com que novas abordagens frente a este novo se estabeleçam e, nesse horizonte, uma nova cultura organizacional se concretize na empresa.

Jeferson Melo - é administrador e sócio-diretor da Arquiteta Soluções, empresa especializada em soluções de gestão de RH.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Mercado busca profissionais qualificados para atuar na área de animação

Indústria de animação faz pesados investimentos no setor, mas oferta de trabalhador qualificado ainda é restrita.

Infomoney

Fonte: http://www.google.com.br/imghp

A indústria de animação está se expandindo e profissionais para essa área estão sendo cada vez mais requisitados. Mas no Brasil existe um problema: ainda não há mão-de-obra qualificada suficiente.

Quem fez esta constatação foi o professor do curso de animação da FAAP (Fundação Armando Álvares Penteado), Eliseu Lopes Filho. O professor ressaltou que, apesar dos investimentos na área superarem qualquer momento histórico, não estão sendo acompanhados pela oferta de novos profissionais qualificados.

Grandes produções
Lopes exemplifica a situação comentando a produção do filme ‘Rio’, que envolveu em sua elaboração cerca de 350 pessoas. "Se um filme como este fosse produzido no Brasil, simplesmente não haveria artistas e técnicos suficientes", observa.

Apesar da deficiência de mão-de-obra, as produções nacionais, de animação em especial, já estão disputando espaço com as estrangeiras nas grades de programação dos canais voltados para crianças. Por aqui, podemos citar produções como ‘Turma da Mônica’, ‘Meu Amigaozão’, ‘Peixonauta’, além da primeira produção nacional 3D: ‘Brasil Animado’, que chegou às telas no início do ano.

Mercado de trabalho
A formação adequada é imprescindível para formar talentos como o diretor brasileiro Carlos Saldanha, responsável por sucessos de bilheteria como ‘A Era do Gelo’ e ‘Rio’. O professor ainda destaca que profissionais formados nessa área também são requisitados em outros ambientes, como internet, telefonia móvel, na televisão com produção de séries, aberturas de novelas, programas e telejornais.

Agência de propagandas também demandam profissionais qualificados nessa área, bem como os estúdios de pós-produção e efeitos especiais e a indústria dos games.

As técnicas de animação são basicamente três: 2D ou desenho animado tradicional, como em ‘Branca de Neve’ e ‘Os Simpsons’; 3D ou computação gráfica, como em ‘Toy Story’ e ‘Rio’; e Stop Motion, animação feita com objetos ou bonecos de massinha e resina, como em ‘Fuga das Galinhas’ e ‘Mary &  Max’.

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo

Programa de estágio 2012 da CPFL Energia

A empresa abrirá cerca de 250 vagas para diversas cidades.

Por Redação, www.administradores.com.br

A CPFL Energia abriu inscrições para seu programa de estágios 2012. Os interessados podem se candidatar no site www.cpfl.com.br a partir de agosto. A empresa abrirá cerca de 250 vagas nas cidades paulistas de Americana, Bauru, Campinas, Indaiatuba, Itapetininga, Itapira, Jaguariúna, Mococa, Piracicaba, Piraju, Ribeirão Preto, Santos, São José do Rio Pardo, São José Rio Preto e Sorocaba e, na região sul, nos municípios de Caxias do Sul, Gravataí e Passo Fundo.

Poderão participar do programa alunos do ensino superior ou técnico, em diversas áreas como Engenharia, Direito, Comunicação Social, Contabilidade, Administração, Economia, entre outras. A CPFL Energia informou que fornecerá aos estagiários bolsa e benefícios compatíveis com o mercado, para uma jornada de, no máximo, 30 horas semanais.

Serviço
Programa de estágio 2012 CPFL Energia
Inscrições: no site www.cpfl.com.br
Período de inscrições: de 1º a 31 de agosto
Locais das vagas: 250 em SP e no RS

Siga os posts do Administradores no Twitter: @admnews.
Siga o Prof. Milton Araújo no Twitter: @Milton_A_Araujo